quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Revivescências de um dia

  1. Baptista-Bastos, o intrépido comentador da realidade do país às 4ªs feiras no DN, foi, ao fim de sete anos de belas e intensas crónicas semanais, mandado calar. «Fui posto fora» - escreveu ele hoje. «Mas não posso calar o que me parece um acto absurdo, somente justificado pelas ascensões de novos poderes. Porém, esses novos poderes são, eles próprios, transitórios pela natureza das suas mediocridades e pelo oportunismo das suas evidências.»
  2. Mas entretanto, os «juízes são os primeiros a ter aumentos no pós-troika» - porque será? Serão os trabalhadores (recuso-me a usar o neologismo laboral de “colaboradores”) mais mal pagos do país, ou haverá outra razão um pouco mais profunda?!
  3. A ministra-sinistra das Finanças e o super-competente  governador do Banco de Portugal (que hoje também reviu em baixa o crescimento da economia previsto pelo governo) depois de jurarem a pés juntos, desde Agosto, que os contribuintes não poriam um cêntimo do seu bolso no desastre do BES, vieram agora dizer que, se calhar, não poderá ser bem assim… Enganaram-se, pois então! Mas estes nem pedem desculpa.
  4. A ministra da Justiça, essa pediu desculpa, mas foi sempre dizendo que não houve caos nos tribunais. Hoje, em entrevista informal a alguns repórteres em que deu conta que os tribunais vão, aos poucos, recuperando a plataforma e tal, pediu-lhes, tão humilde (!!) «Não me façam mentir…»
  5. Quem não se enganou, nem mentiu, nem nada, foi o inefável ministro (C)rato que, na semana passada,  afirmou no Parlamento que «nenhum professor seria prejudicado» por causa do erro nas colocações, vem agora dar o dito por não dito, declarando que não prometeu aos professores a manutenção no lugar. Ele disse tão-somente «mantêm-se» e não «manter-se-ão»! «Todas as minhas afirmações na altura têm de ser lidas com atenção e interpretadas dentro do quadro legal. Os professores mantêm-se, disse. Mantêm-se até às novas listas de colocação corrigidas, que tacitamente revogam a anterior. É a lei», declarou. – o senhor ministro sabe gramática…
  6. A comissão de inquérito aprovou no Parlamento o encerramento do caso dos submarinos com os votos favoráveis da maioria PSD/CDS e com os votos contra de toda a oposição que apresentou uma declaração conjunta Relatório viciado, inquérito inacabado.” Nesse documento, PS, PCP e BE acusam o relatório de Mónica Ferro de “branqueamento”, “vontade de abafar o debate”, “selecção tendenciosa de depoimentos”, “tentativas de encobrimento” e “dúvidas graves”. Apesar de tudo isto, os senhores Durão Barroso e Paulo Portas podem continuar a dormir descansados...
  7. Frase do dia encontrada no facebook:
    «Este desgoverno é versado em cobardês, desavergonhês, e passa-culpês. Obviamente, prefiro o eduquês!!»
  8. Mais revivescências haveria a registar, mas fico-me por estas – que não são nada poucas, nem boas – não sem antes referir a última:
    Faz hoje quarenta anos que vim viver para Leiria.  E esta não comento...




23 comentários:

  1. Brasilês... segue em embates políticos pessoais e o povo óóóóó... O deles, Graça está sempre preservado...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Podemos discordar de Baptista-Bastos?
    Às vezes discordo.
    Mas ele é um brilhante jornalista e a saída dele do DN é uma triste idiotia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também foram muitas as vezes em que discordei dele. Mas este despedimento é só para lhe calarem a boca sobre o que dizia sobre este maldito governo!

      Eliminar
  3. Pois é, isto está preto, mas a pátria não sossobra devia à vilania dos dirigentes corruptos. Até porque há sempre quem lhes faça frente...

    Beijocas

    ResponderEliminar
  4. Fico-me pelo ponto um
    para lhe dizer
    que o Pureza
    também foi objecto da limpeza

    ah, e o Tadeu!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também?! Então isto ainda está pior do que parece...

      Eliminar
  5. Também tinha agendado uma referência ao Ponto Final de Baptista-Bastos mas uma falha técnica com o link levou-me a cancelá-la!
    São umas em cima das outras...até ficamos sem fôlego!
    Com que então foste de véspera?! :)

    Abraço

    Rosa dos Ventos

    ResponderEliminar
  6. Gostei de ler. Vai lá vai...Por este andar nem vamos a lado algum.

    ResponderEliminar
  7. Dá vontade de dizer que foi um dia para esquecer :(
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Tudo bem visto..
    A última foto , pelos carros é antiga...Está lá um , pequeno, verde escuro ,parece o meu de então...
    Saúde e que a mente esteja brilhante por mais 40 anos.
    M.A.A.

    ResponderEliminar
  9. tanto tempo de Leiria, Graça...que te mantenhas e sejas feliz!

    Quanto ao estado de sítio em que o bando do Poder mergulhou o país , com o total apoio do reformado dBoliqueime eis o meu comentário : 2@%$|»08&%#$, percebeste?

    Abraços

    ResponderEliminar
  10. Aqui no Brasil não é diferente, beijo Lisette.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo que nos chega nas notícias, também me parece que não deva ser muito diferente, Lisete.

      Obrigada pela visita!

      Eliminar
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  12. ~
    ~ ~ Quando nos livraremos de tantos vitupérios?!!


    ~ ~ Parabéns pela efeméride! Leiria é uma simpática e airosa capital de distrito.
    ~ ~ Se tivesses ficado em Lisboa, terias sofrido uma vida mais isolada e stressante.

    ~ ~ ~ ~ Beijinhos. ~ ~ ~ ~

    ResponderEliminar
  13. Para que ninguém alegue que não sabia.

    Quarenta anos são uma vida! Que tenha pela frente muitos e bons anos, de saúde, de boa disposição e de lucidez ,como a que vem revelando até hoje.
    E, já agora, Graça,que o Hotel Lis seja reconstruído.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gostava muito que o Hotel Lis fosse reconstruído...

      Obrigada pelo voto.

      Eliminar
  14. 1- O despedimento do BB foi um acto de cobardia
    2- O aumento dos juizes uma vergonha. Calculada, obviamente...
    3- Era o que se esperava
    4- Singularidades de uma loira
    5-Se tivesse um bocadinho de vergonha na cara tinha-se demitido
    6-Antes que descobrissem o rasto do dinheiro, apressaram-se a fechar..
    7- Eu também, mas isso não se pratica naquelas bandas
    8- Vivi 3 meses em Leiria. Não a escolheria como cidade para viver...

    ResponderEliminar