sexta-feira, 3 de outubro de 2014

A uma mulher desconhecida

Poema para minha mãe que foi a sepultar fez hoje 26 anos.




É muito bela esta mulher desconhecida
que me olha longamente
e repetidas vezes se interessa
pelo meu nome

eu não sei
mas nos curtos instantes de uma manhã
ela percorreu ásperas florestas
estações mais longas que as nossas
a imposição temível do que
desaparece

e se pergunta tantas vezes o meu nome
é porque no corpo que pensa
aquela luta arcaica, desmedida se cravou:
um esquecimento magnífico
repara a ferida irreparável
do doce amor

José Tolentino de Mendonça

29 comentários:

  1. Uma bonita mulher. pareces-te com ela.

    ResponderEliminar
  2. OI GRAÇA!
    QUE LINDA MULHER FOI TUA MÃE E COMO DIZEM "O FRUTO NÃO CAI LONGE DO PÉ", HERDASTE A BELEZA DELA AMIGA.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  3. Gracinhamiga



    Voltei à tua companhia; o Crónicas das Minhas Teclas está em “hibernação”, mas não para; (diz-me sff se gostas deste título e ou não gostas). Se for não, alvitra um título que eu analisarei e se entender que será melhor, o aceitarei. É, pois, um desafio que te lanço. Muito obrigado.

    Mas por agora quero dar-te a informação de que já acabei o texto, o Leonel Gonçalves está a ver o dito e… a Raquel também. É uma mulher de armas, sempre pronta a ajudar-me!...

    No dia 16 deste mês começa a edição: capa e miolo vão entrar na impressão e, depois, pensar na distribuição que seja a melhor. E a publicidade? O editor e eu estamos carentes de euros e será a que for possível com a participação de quem queira também publicitar junto das Amigas e dos Amigos, o que desde já agradeço muito. Vou ainda tentar junto da malta amiga da comunicação social que façam o que melhor entenderem.

    Está a ser estudado o local do lançamento; tem de ser mais ou menos espaçoso e com boas condições. E não muito caro… Enfim, trabalha-se. Porém, neste interregno, voltarei a visitar-te e a comentar-te como é meu apanágio. E naturalmente a avisar-te sobre o local, o dia e a hora do lançamento. Quero-te lá: para te ver e/ou conhecer pessoalmente e ver…te comprar muitos exemplares rrrrrrsssss…

    Qjs

    Este texto é único e vai repetir-se pelos blogues e comentadores e colabores que me têm acompanhado; infelizmente não posso avisar e comentar uma a uma ou um a um. Desculpem

    ResponderEliminar
  4. Um belo poema numa linda homenagem a uma mulher que nunca te foi desconhecida.
    Gostei do poema, mas gostei muito mais de ter ficado a conhecer essa linda mulher, que foi a senhora tua Mãe.
    Há datas que nos marcam a ferro e fogo, passe o tempo que passar!

    Um abraço solidário, Graça!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dizes bem, Janita: passe o tempo que passar.

      Beijinho.

      Eliminar
  5. Uma bela homenagem a uma mãe que partiu tão subitamente...

    Abraço solidário

    Rosa dos Ventos

    ResponderEliminar
  6. Era muito bonita a senhora sua mãe. A vida é assim, os anos passam atenuam a dor, mas aumentam a saudade.
    Deixo um abraço solidário.

    ResponderEliminar
  7. Uma vida compactuada em outra, fica para sempre gravada no pensamento e em nossas homenagens... Tal mãe, tal filha!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  8. Uma bonita senhora , como eram as raparigas daquele tempo.
    Calculo que foi colega de duas tias minhas , uma já falecida e outra com 81 anos, que leccionaram na mesma terra..Um abraço.
    M.A.A.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha mãe iria fazer 89 no próximo mês de Novembro.
      Obrigada, M. A. A.

      Eliminar
    2. A minha mãe fez 89 anos dia 1 deste mês , nasceu em 1925 e a nossa diferença de idade é bem pequena...M.A.A.

      Eliminar
  9. Tão linda a tua mãe!
    Uma bonita homenagem à mulher que nunca vais esquecer, o tempo ajuda a minimizar a dor, mas aumenta a saudade.

    Abraço apertadinho, quero que o sintas, sei que é dificil, mas pode ser confortante.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Senti aqui o calor do teu abraço apertado, querida flor.

      Beijinho.

      Eliminar
  10. belíssima homenagem...
    um poema muito belo - e um poeta que admiro.

    beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos um país de (grandes) poetas, heretico...
      Obrigada. Beijinhos

      Eliminar
  11. Sentido, pela homenagem, pela memória
    (abraço apertado)

    ResponderEliminar
  12. Versos que nos tocam e nos acordam.
    Mãe é pura poesia que nos encanta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um comentário poético, Luís!
      Muito obrigada.

      Eliminar
  13. Uma bonita homenagem à tua mãe Graça. Linda, que era...
    Um beijo e o meu sentir.

    ResponderEliminar
  14. Bela e comovente homenagem! Hoje para mim mais sensível, pois o meu pai faria hoje 96 anos - faleceu há 25 anos e as saudades permanecem, vivas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo, Justine, as saudades permanecem...

      Eliminar
  15. A Graça traz aqui um ramo de flores demonstrando que, quando se ama, a vida prolonga-se no tempo. Bela homenagem faz a sua mãe presente.

    ResponderEliminar