sábado, 3 de dezembro de 2016

E agora, José?

O meu Zezito fez hoje oito anos. Oito! E houve festa em casa com muitos meninas e algumas meninas (poucas... Daqui por uns anos será ao contrário, sei lá...)

Uma festa tradicional, "à antiga" e a preceito...





















«E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José?
e agora, você?»

Agora, que a vida te seja leve, amiga e a jeito, meu querido!


sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

É isto a União Ibérica?

Não, não vou falar do governo dos Filipes nem do dia da Restauração. Tem a ver com outro assunto bem diferente...

Gosto de comprar a revista Ler. É editada pelo Círculo de Leitores desde os idos de 80 e é há alguns anos dirigida pelo Francisco José Viegas (sim, sim, esse mesmo que mandou os outros “tomar no cu” e fez bem) e pelo Bruno Vieira Amaral. Já foi bimensal, mas ultimamente sai quatro vezes por ano, de cada vez que muda a estação do ano. Tem artigos muito interessantes sobre literatura portuguesa e mundial e faz o anúncio com brevíssimas recensões dos livros que vão saindo. Para além disso e de algumas boas entrevistas, os seus diretores escrevem uns pequenos textos-notícias a que chamam de «Coisas verdadeiramente Importantes».

Ora uma dessas coisas verdadeiramente importantes da edição deste Outono é uma pequenina notícia com o grande título TAMANHA DESILUSIÓN e com o subtítulo «É isto a União Ibérica» e que diz o seguinte:


«PRIMEIRO AS MÁS NOTÍCIAS: num ranking mundial que compara a dimensão média dos pénis de cada país, Portugal surge num aflitivo 23º lugar. A boa notícia é que estamos empatados com os espanhóis. Numa grande prova de solidariedade masculina , os homens dos dois países ficam-se pelos 13,6 centímetros, muito à frente da Coreia do Sul e da Tailândia (9,4) mas muito longe dos líderes mundiais, os congoleses, com uns priápicos 17,9 centímetros de média. E o governo não faz nada?»


quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Dia Mundial Contra a SIDA


Passaram já 35 anos desde que foi identificado o VIH. 25 milhões é o número de pessoas que morreram devido ao vírus da imunodeficiência humana, desde que foi descoberto pela comunidade científica até 2005. Os que morreram em anos anteriores ficarão anónimos, devido à escassa informação disponível sobre a doença, mas também graças ao preconceito que ainda hoje se faz sentir mesmo após a entrada no novo milénio.

O que mudou neste novo milénio foi a compreensão da doença e os métodos de a aplacar. Mas, mesmo com fármacos eficazes no tratamento antirretroviral e com tratamentos preventivos que diminuem os índices de infeção, 0,6% de toda a população mundial está infetada.

A Organização Mundial de Saúde prevê que, em 2030, a sida deixe de ser uma epidemia global. Actualmente é considerada uma doença crónica.
Em Portugal, entre 1983 e 2015, o número de pessoas afectadas foi de 54 mil, sendo heterossexuais mais de metade. No total de grupos atingidos (mulheres, homens, heteros, homo, bisex, trans e consumidores de drogas) morreram 11 mil pessoas. Comparativamente com o ano passado, em 2016 tem-se verificado uma acentuada redução de casos registados.

(Texto composto a partir do Editorial da revista Saúde e da página do facebook do escritor Eduardo Pitta)


quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Esteve cá uma ventania!

Esteve cá uma ventania!!

Foi todo o dia assim!



Um desassossego!...

Bom feriado!

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Já fez cem anos, o samba!

Na verdade muita gente já fazia samba nessa época. No entanto, os seus autores registavam as suas composições como lundus ou tangos carnavalescos, já que o samba era marginalizado, estava constantemente na mira da polícia e sujeito a ser extinto, conforme ocorreu com o maxixe, pois ambos eram apontados como uma dança lasciva, adotada por gente da ralé. Assim, Pelo Telefone foi o primeiro samba que alcançou sucesso numa época em que imperavam as polcas, valsas, tangos, modinhas, lundus e outros géneros.

O samba era praticado, em modalidades folclóricas, em várias regiões do Brasil. A influência das tias baianas no samba carioca foi importantíssimo, como no caso da lendária Tia Ciata, cozinheira e curandeira, moradora da Praça Onze de Junho: a sua casa era o ponto de encontro da comunidade baiana radicada no Rio.

Os versos de Pelo Telefone foram recolhidos na casa da Tia Ciata e registados por Donga (música) e Mauro de Almeida (letra) como samba-carnavalesco na Secção de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional em 27 de Novembro de 1916 e gravado no mês seguinte na Casa Edson, ganhando projeção nos coretos carnavalescos.




Então vamos aprender com o Mestre como fazer um samba...




domingo, 27 de novembro de 2016

Ganhando espaço...

A isto chama-se evolução! (ou não...) e parou em 2014. De então para cá, já houve decerto mais atualizações. 

Nem que fosse o Pokémon Go...





sábado, 26 de novembro de 2016

Opereta Alentejana

Muito divertida mas de qualidade esta «opereta alentejana» para ajudar a passar este tempo de estar em casa.




A dita opereta inicia-se com o Jorge de Palma ao piano a tocar a encantadora Ária para a 4ª Corda, de Bach, que é, desde que me lembro, a ária mais bonita, mais repousante, mais melodiosa que já ouvi.. 

Deixo-a aqui para o caso de se quererem maravilhar.