domingo, 28 de setembro de 2014

Yes, Yes, PS!



Ideias soltas sobre um grande dia:

Contra tudo e contra todos, o PS continua a ser um, senão mesmo O grande partido.  

Ao acorrerem às 600 e tantas mesas eleitorais do PS, os portugueses mostraram que estão fartos deste "governo" e desta maioria de trapaceiros mentirosos que tem vilipendiado o país. 

Por muito que a oposição queira tentar convencer o povo que o partido está e vai continuar partido ao meio, viu-se que afinal a forma como se organizaram e como correram estas eleições primárias (as primeiras realizadas no país) mostra bem que  o partido está fresco e determinado.

Para além disso, tanto vencedor como vencido comportaram-se da forma mais lisa e digna nas suas intervenções e comportamentos. 

À imagem de outras "fraturas" que aconteceram dentro do partido no passado e de que já poucos se lembram, veremos que a eventual ferida agora aberta sarará com a rapidez de quem tem uma boa carnadura.

Ficou mal a pretensa indiferença do professor da TVI e sua partenaire face ao discurso de demissão do derrotado.

Ficou francamente mal ao Jerónimo - que, por acaso, também de Sousa como a supra citada partenaire - berrar a plenos pulmões que «as eleições no PS são uma farsa». Das duas, uma: ou se trata da proverbial falta de maleabilidade mental do PC ou de estrita dor de cotovelo.

Força, PS!!


20 comentários:

  1. O discurso de Jerónimo nem tinha nada a ver com a tal "violência doméstica",
    foi, por sinal, às 17 e tal
    muito antes do desfecho a que se refere, sendo pois impossível antecipar a dor de cotovelo... e sobre o que terá dito
    eu aqui repito:

    "São muitos os portugueses que hoje, justamente, já não podem ver nem Passos Coelho, nem Paulo Portas pela frente, mas mais importante do que passar a ver estes dois governantes pelas costas, é a efectiva substituição das políticas que ao longo destes últimos 38 anos foram executadas por PS, PSD e CDS.

    Para o PCP a questão que se coloca ao país não está em saber quem vão ser os futuros protagonistas da política de direita, como dissimuladamente a farsa das chamadas eleições para primeiro ministro quis impor e que o PS deliberadamente promoveu, seguramente para esconder responsabilidades passadas e intenções futuras.

    Não! A questão decisiva que se coloca ao povo português é a de romper com este ciclo infernal da alternância sem alternativa e abrir caminho a opções que respondam às dificuldades, ao sofrimento, às aspirações e expectativas da nossa pátria."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Respeito a sua opinião avisada, Rogerito. Mas ... qual é a alternativa democrática, digo, sem ser imposta?

      Beijinhos socialistas (da primeira hora e não de agora...)

      Eliminar
  2. Agora começa o período de António Costa mostrar ao que vem, Graça.
    Deixa de falar para dentro do Partido para falar para o País.
    Começando por dizer se vai ser líder da oposição e candidato a primeiro-ministro, ou autarca.
    As duas coisas é que não pode ser.
    Beijinhos e votos de boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso já deve estar pensado e preparado!

      Boa semana também para si, Pedro!

      Eliminar
  3. Eu sei que isto não é politicamente correcto, mas Costa apenas vem testemunhar, dizer e afirmar que a politica não é possível sem "sacanas" nem cinismo... ao apunhalar Seguro... Não falo aqui do pensamento político de nenhum deles; tão só de uma questão de carácter... Não gostei...

    bejo amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aceito o seu ponto de vista. Mas não foi muito mais feia a atitude de Seguro relativamente ao governo anterior, ignorando-o e até mesmo, enterrando-o?

      Beijinho

      Eliminar
  4. As primárias mobilizaram as pessoas para um acto de cidadania. E isso é bom...
    Beijo, Graça

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso foi o que de melhor aconteceu ontem, Graça.

      Beijinhos

      Eliminar
  5. Ontem foi dia de sofá com o cobertor por cima da cabeça!
    Mas fui votar!

    Abraço

    Rosa dos Ventos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois foi, querida amiga!! Pois foi....

      Beijinhos solidários!

      Eliminar
  6. Olá Graça!
    Confesso minha ignorância quanto as atividades políticas que por aí correm e nem fazia ideia de que ontem fosse dia de primárias - como percebi em alguns dos comentários. No entanto, partindo de ti, a breve crônica me parece justa e bem direcionada.
    Abraço e uma ótima semana; sem que a política influencie.

    ResponderEliminar
  7. Sou militante do PS à 40 anos, mas não é por o ser que entendo que ficou muito mal ao Jerónimo (ou outro qualquer) dizer o que disse, principalmente no dia de ontem.

    Confesso que os resultados me surpreenderam na positiva.

    Boa semana Gracinha.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  8. A vitória esmagadora de Costa foi a melhor forma de manter o partido unido. Isso é bom para o PS e para o país. Não agrada a Jerónimo ( nem a Louçã)? É natural. Vão perder votos e deputados em 2015.
    O PCP convive mal com a democracia interna e o BE está refém de um Louçã que se tornou mais acintoso depois de abandonar a liderança.
    Boa semana também para si, Graça

    ResponderEliminar
  9. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  10. Sinceramente amiga Graça já não acredito em milagres !

    beijinho e boa semana


    ResponderEliminar
  11. Claro que fiquei contente com a vitória de António Costa. Gostava de ser mais otimista mas, neste momento, não consigo.

    ResponderEliminar
  12. Fiquei surpreendido pela vantagem obtida pelo António Costa. Andavam por aí a dizer que nenhum dos candidato iria obter uma votação clarificadora e, afinal, foi "trigo limpo farinha amparo"!
    AC parte de uma posição que deverá ser respeitada por todos. Agora é atirar borda fora a Sociedade Anónima Irresponsável Ilimitada que se assenhoreou do barco como nunca se tinha visto.
    Já ninguém acreditava no António Seguro. Os que lhe estavam próximos não souberam dizer-lhe que não tinha perfil para o cargo, evitando meses de impasse e uma saída humilhante pelos resultados que obteve?

    ResponderEliminar
  13. Não me inscrevi nem fui votar, por não estar capaz, mas achei o resultado uma verdadeira surpresa: supunha que Costa iria ganhar, mas não pensei que a vantagem fosse tão significativa... :)

    Quanto ao Jerónimo,está a ver uns votos a "voar"...

    Beijocas

    ResponderEliminar