sábado, 24 de janeiro de 2015

Violetas e violeteras

Tem sido um fenómeno mundial este da Violetta, a série argentina coproduzida  pela Disney e que traz as miúdas todas loucas por esse mundo fora. O grupo tem realizado concertos por essa Europa fora com milhares de fãs femininas que, ululantes, cantam e dançam ao som daquelas musiquinhas  que não devem usar mais do que duas ou três notas das muitas existentes na pauta.

Este fim de semana foi a vez de virem a Lisboa fazer não sei quantos concertos em apenas três dias. Têm sido enchentes. O país de Norte a Sul tem despejado milhares de miúdas para o Pavilhão Atlântico.

A minha neta também recebeu pelo Natal bilhetes para ir ver a Violetta. E ontem, depois de dias de louca expectativa,  lá arrancou os pais das suas vidas para irem com ela para Lisboa assistir ao concerto.

Deixo aqui uma pequena amostra da Violetta para os meus amigos que possam não conhecer esta moda.





E, a propósito de Violetta e de violetas - que são das minhas flores preferidas - lembrei-me de La Violetera, uma canção do filme espanhol do mesmo nome de 1958, cantada pela  (afetadíssima) Sarita Montiel - quem se lembra dela? Só mesmo a «miudagem» da minha criação...

Vejam a cena do filme em que a artista canta La Violetera e, se estiverem para isso, reparem nas transformações nas apresentações em palco que se deram no espaço de 50 anos!




24 comentários:

  1. ~ Gratíssima pela explicação.

    ~ Imagina que perguntei ao Rogério, no CA, quem era a Violleta!!

    ~ Tens uma netinha muito precoce...

    ~ ~ ~ Beijinho. ~ ~ ~
    .

    ResponderEliminar
  2. Bom a minha neta faz no próximo dia 4 de Fevereiro 6 anos. É doida pela Violeta. Na cartinha que escreveu na escola com a educadora para o pai Natal. Só pediu coisas da Violeta. Claro que ela também queria ir ao concerto. Disse-me por duas vezes que queria ir mas os pais diziam que os bilhetes eram muito caros. Eu respondi-lhe que quando as pessoas são pobres, não pensam no querem, mas no que podem. Penso que ela percebeu pois nunca mais me falou no concerto. Para a compensar estou a pensar fazer-lhe o bolo de aniversário decorado com a Violeta. Ela vai ficar toda contente. Quanto à Canção da Sarita Montiel, gostei de a recordar.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Elas adoram-na! E agora há tudo com a Violetta: desde apara-lápis até camisolas e sei lá o que mais. Marketing!!

      Eliminar
  3. Do filme e da musica não recordo, em 1958 acho que ainda gatinhava!
    Quanto à Violeta de tanto ver fotos de mamãs com as filhotas a falar da dita no Facebook tive que pesquisar para saber de que se tratava.

    Beijinho e bom domingo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu oiço as canções da dita Violetta todas as manhãs cá em casa porque a minha neta só tem escola de tarde e, de manhã, fica comigo.... Tás-me a ver?!

      Eliminar
  4. Leio com agrado que a Violetta, na SIC, destronou a casa dos segredos , da TVI. Mas fico ainda mais feliz, porque a minha Maria não vai (ainda) na onda que vai formatando o mundo.
    Mas estou preparado para tudo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora bem! Então a Violetta sempre teve algo de útil!! Não sei como se continuam a fazer edições e mais edições dessa ordinarice que é a casa dos degredos...

      Eliminar
  5. Sarita Montiel! Exatamente de que me lembrei ao ler seu post de hoje... Minha mãe cantarolava e muito...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  6. Sou dos que se lembram da Sarita Montiel. Um espanto! Quanto à Violetta, autêntico "ovo de Colombo", é espantoso como se criam estes mitos! Os argentinos tem destas coisas: Nos anos 60 foi a Mafalda, depois o Maradona, para não falar nos "casos" políticos, agora esta Violetta contagiante para as meninas de todo o Mundo...

    ResponderEliminar
  7. Nao conhecia a Violeta. A Sarita era uma mulher muito bonita. Era o amor de um tio meu. Morreu ha relativamente pouco tempo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois foi: Sara Montiel morreu há pouco tempo. Era muito apreciada pelos portugueses no século passado. Fazia muitas boquinhas e muito olhinhos, mas até cantava bem.

      Eliminar
    2. Ahahah! As boquinhas e os muitos olhinhos levam os homens ao "desvario"! : ))

      Eliminar
    3. Ahahah! As boquinhas e os muitos olhinhos levam os homens ao "desvario"! : ))

      Eliminar
  8. Da Sarita Montiel, da canção e do filme, "A Rapariga das Violetas" ou em espanhol "La Violetera", lembro-me bem. Não, porque tivesse visto o filme, mas ouvia a canção na Rádio e lia todas ( ou quase) as notícias sobre a actriz, na Revista Flama, se não estou em erro.

    A Violetta, é o fenómeno de momento! Nós por cá, também já tivemos a Floribella que não correu mundo, mas trouxe muitas dores de cabeça às mães das meninas que queriam vestir-se à moda dela! Com lacinhos e cores garridas...:)

    Não tenho netas, só rapazes! Quem me dera andar a reboque da Violetta e outras que se seguirão...era bom sinal!!

    Bom resto de domingo, Graça!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas a Floribella portuguesa era bem parola!!! Modas!

      Eliminar
  9. Francamente, entre uma e outra prefiro a Sarita dos bons velhos tempos...

    ResponderEliminar
  10. Como já não tenho filhos pequenos e também ainda não tenho netos, a Violetta era para mim totalmente desconhecida, até estes últimos dias e respetivas reportagens televisivas sobre o fenómeno.

    Gostei do vídeo da Sarita. :)

    ResponderEliminar
  11. Esta Violetta é um verdadeiro fenómeno ! ... mas curiosamente, não se v~eem muitos rapazes. É mais para as miúdas !
    Veio preencher o "espaço" deixado vago pela Hanna Montana (Miley Cyrus).

    A Sara Montiel, claro que um dos meus ídolos daquela época, não só com La Violetera ! :))
    .

    ResponderEliminar
  12. Claro que me lembro da canção e do filme! O mal é da idade...
    Segundo a Catarina a Sarita já morreu! Não sabia!
    Tenho duas netas que são loucas pela Violleta, para "mal dos meus pecados"...
    Beijo

    ResponderEliminar
  13. Já não via nem ouvia alguém referir a SM há séculos! E Joselito, Cantinflas, cantorias e palhaçadas do meu tempo dos 11 - 12 anos.

    ResponderEliminar