segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

«Ronda da mil belas em frol»

Começar bem o ano é a falar de Literatura. E escolhi a «Ronda das mil belas em frol», o último livro de Mário de Carvalho, um dos meus autores preferidos da atualidade. Trata-se de uma série de 16 pequeninos contos sobre sexo, dedicados pelo autor «com recomendações mil, aos fariseus pudibundos deste país. E aos filisteus também.»

Comprei o livro para o homem da casa – que isto de contos sobre sexo diz-lhes muito a eles (!) – e depois li-o eu. E, para parafrasear o comentário de Miguel Real no Jornal de Letras, considero-o «excelente, excelente, excelente, excelente». Quatro vezes excelente.

«Excelente porque faz o milagre de contar histórias sobre sexo cruzando o atrevimento da intimidade com o pudor da linguagem.»

«Excelente porque escreve sobre sexo sem encher o texto de impropérios, ausente de um calão doesto próprio dos antigos bordéis de Alfama e do Intendente.»

«Excelente porque a mulher (o narrador é um homem) não é, nestes contos, um objeto de prazer do homem, como o era Amélia para o padre Amaro, não é um objeto de uma paixão devastadora, como a de Simão Botelho por Teresa, não é uma heroína saramaguiana, uma desequilibrada loboantunesiana, uma ingénua ou interesseira agustiniana, uma voragem de prazer lúbrico luispacheciano, ou uma vexada ou opressa à Maria Teresa Horta, não. É um ser humano completo, normal, curioso do seu corpo, considerando a monogamia (as casadas) uma imposição social a que se deve obedecer, sem que deixe de aproveitar-se um momento de distração conjugal e se experimente uma relação carnal com outros homens.»

«Excelente porque o léxico é ambicioso, mais amplo não podia ser, um imenso leque semântico como o autor há muito nos habituou (…) uma escrita clássica, proporcionada nas partes, única no todo, operando uma síntese da história da língua portuguesa. (…) Está aqui tudo – o primeiro Eça de perto, todo o Camilo de longe, (…) a serenidade literária de Fernanda Botelho quando descreve um corpo macho a penetrar um corpo fêmea. Não está aqui a raiva explosiva e insurrecta de Maria Isabel Barreno, Maria Velho da Costa e Maria Teresa Horta nem a lubricidade patológica de Luís Pacheco.»

A apreciação crítica plasmada na contracapa do livro diz que «Todas as histórias nele contidas narram percalços, espantos e sobressaltos de ligações íntimas entre homens e mulheres, o que se desvenda, o que se oculta. Rasgos perversos. Permanências e rupturas. Nem sempre se encontra o que se espera, nem se espera o que se encontra. A variedade é avassaladora. A diferença inevitável. (…)»

E tudo sempre narrado com a naturalidade mais desassombrada, sempre de forma elegante e requintada. Textos salpicados com algum humor, outras vezes com um final surpreendentemente inesperado, mas sempre temperados com aquela ironia fina que o autor tão bem domina.


Vale a pena ler.




24 comentários:

  1. Gostei sobremaneira de ter ficado a saber a definição desses quatro «Excelentes», Graça.
    Esta "Ronda..." não me vai escapar! É mesmo o tipo de leitura (breves e interessantes contos) que me apetece ler.

    Ulysses, nem vê-lo!!

    Obrigada pela EXCELENTE partilha. :)

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Força então, Janita! Sei que vais gostar.

      Beijinho.

      Eliminar
  2. Fiquei totalmente cativada por essas narrativas sobre sexo
    escritas com naturalidade «sempre de uma forma elegante e
    requintada»...
    Uma excelente crítica e sugestão que muito agradeço.
    ~~~ Beijinhos literários ~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Algo diferente e muito, muito bem escrito! Com aquela escrita erudita a que Mário de Carvalho nos habituou.

      Beijinhos literário...

      Eliminar
  3. Depois de visitar o Centro de Dia
    o Rogérito vai ter leitura
    adulta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bem, Rogerito!
      É preciso saber de tudo um bocadito...

      Eliminar
  4. Quando chegar aqui, vou requisita-lo.
    Bjos : )

    ResponderEliminar
  5. Respostas
    1. Obrigada, Pedro!! Bom Ano para vós aí longe...

      Beijinhos

      Eliminar
  6. Namorei-o na livraria mas não o levei para casa. Não perde pela demora. É um autor que aprecio pela sua escrita,digamos, erudita.
    Bom trabalho para o 2017 ganhar balanço.
    Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai ver que vale a pena levá-lo para casa. Vai gostar de ler.

      Beijinhos.

      Eliminar
  7. Então levo a sugestão!
    Se gosta de fotos a preto e branco:
    https://mgpl1957.blogspot.pt/2017/01/a-preto-e-branco.html
    bj

    ResponderEliminar
  8. "Ulisses"... "Em Busca do Tempo Perdido"... NÃO! Esta é, sem dúvida, uma leitura mais fácil de entender!
    Um Bom 2017, com saúde.

    ResponderEliminar
  9. Fica na minha lista!

    Beijinhos, Graça :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E vai enriquecer a lista...

      Beijinhos, Maria Tu...

      Eliminar
  10. Ora aí está uma recomendação que certamente seguirei, se não for por agora - tenho catervas de livros novos para ler - lá mais para quando for a feira... :)

    Obrigada, beijocas e bom ano!

    ResponderEliminar
  11. Uma sugestão de leitura que vou seguir... Sem dúvida. :)

    ResponderEliminar

  12. Nem precisavas de tanto para me convenceres!
    Vai para a lista de livros que tenho de procurar na Fnac... e olha que coincidência... tenho de lá ir amanhã comprar uns livros de Matemática! :))

    Depois dou-te o feedback.
    Beijinhos filhos da madrugada
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Força! Recomendo que o leias antes de ou mesmo em vez do de Matemática!! Eh eh eh eh...

      Eliminar