quarta-feira, 2 de março de 2016

Um telegrama

Os telegramas são hoje tão obsoletos como os ferros a carvão. Quem é que hoje se desloca aos correios (também já algo obsoletos ou privatizados ou assim) para enviar um telegrama?

Nos meus tempos de menina e moça era chique enviar um telegrama de parabéns; numa emergência, numa aflição, enviava-se um telegrama; no tempo da guerra mau sinal era receber um telegrama.

Quantos alunos ainda ensinei, nas aulas de Português, a preencher o impresso de telegrama!

Pois hoje de manhã, tive um daqueles vislumbres dos tempos de antigamente - estarei a ficar senil? - e vieram-me à cabeça uns breves acordes de uma canção e aí lembrei-me Un telegrama!

A canção foi apresentada por esta cantora chilena de voz poderosa na primeira edição do Festival da Canção de Benidorme, em 1959, e ganhou o primeiro prémio.

Alguém se lembra?


20 comentários:

  1. Pelo título diria que não, não conhecia! Mas, bastou ouvir os primeiros acordes e primeiras estrofes, lembrei-me de imediato.

    Quantas vezes ouvi na Rádio e a cantei...

    Engraçado que se não fosses tu, há canções que ficariam para sempre adormecidas no fundo da minha memória!
    Obrigada por no-las fazeres recordar, Graça!

    Quanto aos telegramas enviei, e recebi, muitos telegramas telefonados, lembraste como era?
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Janita, estamos a ficar «passadas» como os telegramas... eh eh eh...

      Eliminar
  2. Eu lembro da canção e dos telegramas.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  3. Respostas
    1. Pois como, se o menino é tão novinho?!.... :)))

      Eliminar
  4. Recebi e enviei telegramas..Também me lembrei logo desta canção, que na altura achei muito bonita e hoje ....muito pirosa. Estou a ficar velha ?! Talvez
    M.A.A.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pirosa até dizer basta!! E o coro das "piquenas" lá atrás?!... Eh eh eh eh...

      Eliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. ~~~
    Foi um telegrama musical amplamente difundido na rádio...
    Os escritos eram emoções intensas - incluam notícias do nascimento e da morte...
    l8: ))
    Achei muita graça à saia godé 'armada' Usei-a quando era muito menina.
    ~~~~~~~~~~ Beijinhos eletrónicos. ~~~~~~~~~~
    (Quem os imaginaria na época dos telegrafados!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também eu! E que elegantes eram! E sensuais...

      Eliminar
  7. Claro que me lembro, Graça. E também mandei e recebi telegramas (felizmente nunca com mais notícias)... Muito interessante recordar isto aqui.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Graça. Recordar ´+e sempre bom - sem saudosismos, claro!!

      Eliminar
  8. Nunca recebi telegramas, mas tal como tu ensinei a preenchê-los.
    Hoje foram substituídos por sms.
    Da canção não me lembro, mas gostei de a ouvir.
    Obrigada pela partilha.

    Beijos Graça

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Manu! E para que ensinámos a preencher telegramas?! Eh eh eh eh... Agora não precisamos de ensinar a escrever sms...

      Eliminar
  9. No ano do festival ainda eu usava fralda e não conheço esta canção, acho que nunca ouvi!

    Tinha eu 15 anos quando a pedido de um militar que foi para Angola fui madrinha de guerra dele e a pedido da mãe dele enviava-lhe telegramas nos anos e pelo Natal.
    Mas também recordo os gritos dos meus tios ao receberem um telegrama a dar a noticia da morte do meu primo que estava em Angola.

    Beijinho Graça.

    ResponderEliminar
  10. Dos telegramas lembro-me muito bem e até me lembro que também se podiam mandar por telefone.
    A Música não conheço mas acho graça a esta época, foi muito giro ouvir.
    bjs

    ResponderEliminar
  11. Não é senilidade, Graça, o registo da memória é que é excelente. Por vezes, vêm-nos coisas à cabeça...
    A propósito de telegramas, fez recordar-me um que me mirrou. Tinha eu guardado já o cavalinho da chuva e veio a ordem que me recambiou para a guerra. Em 73.
    Quanto à cantora e canção não me ficou nada. Ainda andava de calções,joelhos esfolados, à volta de berlindes, piões, caricas, estampas de jogadores, and so on.

    ResponderEliminar