quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Flores no Inverno

A última rosa do ano.



As primeiras camélias.







E o primeiro jarro.





«Se às vezes digo que as flores sorriem
E se eu disser que os rios cantam,
Não é porque eu julgue que há sorrisos nas flores
E cantos no correr dos rios...
É porque assim faço mais sentir aos homens falsos
A existência verdadeiramente real das flores e dos rios.»


Alberto Caeiro, in "O Guardador de Rebanhos - Poema XXXI"




19 comentários:

  1. Neste momento não sei como estará o meu jardim...
    Será que as orquídeas ainda estão belas e viçosas?
    Bem colorido o teu, apesar do cinzento dos dias...

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Magnífico jardim e suas camélias! Segue o poema fantástico como trilha sonora do querido Alberto Caeiro.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  3. gosto do perfume de tuas flores...
    belas!

    beijo

    ResponderEliminar
  4. As camélias já por aqui andam há algum tempo. Então a Winter Snow Down continua duma beleza de seda estonteante!
    As Rosas também se estão a aguentar muito bem.
    O jarro é que ainda não lhe pus os olhos em cima.

    A ver vamos como o inverno se vai comportar, que os malmequeres já aí estão a pintar os campos!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Alberto Caeiro preocupava-se em falar para os homens falsos. Que bom exemplo nos dá o poeta!

    Flores lindas, cara Roseira Brava!

    ResponderEliminar
  6. Sem flores e sem poesia quem nos alimentava a alma?

    ResponderEliminar
  7. Eu não concordo com o Alberto, as flores sorriem para mim, sim! Adoro o canto dos rios e ribeiros.

    No Algarve, é habitual termos rosas em Janeiro, mas por aí, o tempo já não é o que era!

    As flores estão bonitas, mas a sua presença é muito estranha!

    ~ ~ ~ Beijinhos floridos ~ ~ ~

    ResponderEliminar
  8. A minha mulher já vai no terceiro curso de arranjos florais.
    Como tal, tenho sempre a casa cheia de flores e com arranjos florais muito bonitos.
    E eu gosto muito de flores.
    Amanhã, lá estarei na varanda, no meio das flores, a tomar o pequeno-almoço.
    Beijinhos e votos de bfds

    ResponderEliminar
  9. grande Alberto Caeiro - o Pessoa dos simples!

    abraço Graça

    ResponderEliminar
  10. Não fossem as letras e as flores alimento de gente o Éden onde nos puseram seria uma rocha bruta. Embrutecida.

    ResponderEliminar
  11. Muito belas as flores. Muito belo o poema.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  12. Caros amigos Pedro Coimbra e António Nunes, que vergonha sinto a mostrar estas minhas modestas flores face às vossas!... Estas só dão o que querem porque eu de jardineira sei tanto como um elefante... No que toca às flores, só sei vê-las e apreciá-las...

    ResponderEliminar
  13. A beleza das flores no Inverno é maior porque existem poucas flores Mas será também porque elas surgem no meio de quase nada e impondo-se pela sua diferença.
    Ainda tenho rosas e também já tenho camélias em flor.

    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  14. Uma boa jardineira lindas flores colherá :)

    O poeta sabia o que dizia.

    beijinho amiga Graça

    ResponderEliminar
  15. As flores são a maneira mais fácil de nos sentirmos amados... ainda que apenas nos deixem contemplar a sua existência.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  16. Há sempre tanto encanto numa flor. Estão lindas estas.

    E obrigada pelo belo poema que deixaste a ilustrar as minhas pobres flores secas. :)

    ResponderEliminar
  17. Luísa, as "tuas pobres flores secas" podem estar, de facto, secas, mas a fotografia está um espanto (como todas as que apresentas lá no teu belo espaço.

    Beijinhos floridos.

    ResponderEliminar

  18. Gosto de pensar que as flores sorriem.
    Se assim não fosse, o que as tornaria tão belas e tão reais?

    Bjs

    ResponderEliminar