domingo, 14 de agosto de 2016

Uma certa melancolia

Isto do fim de férias sempre me trouxe uma imensa melancolia. Quando dava aulas e passávamos o mês de Agosto em São Pedro de Muel, a aproximação do dia 31 trazia-me uma enorme angústia: lançar-me num outro ano letivo criava a meus olhos (e nos meus pensamentos) a imagem de me estar a lançar à água e não conseguir alcançar a outra margem. 

Agora que já não tenho de me lançar num outro ano letivo, a angústia vem em forma de dúvida. Será que...  

As férias terminaram e não me apetece falar disso. A música é sempre uma boa forma - a melhor, diria - de transmitir o que estamos a sentir. Daí que me lembrei desta canção tão bela, cantada pelo excelente Aznavour nos idos de 57 - se bem que a tenha conhecido lá para meados de 60.

Muito bonita. Espero que gostem!

Para quem gosta da Amália, deixo mais abaixo a sua versão da canção (1965). Depois darão as vossas opiniões.





19 comentários:

  1. Gosto mais da versão original (Aznavour).
    Das tais que são eternas.
    Beijinhos, boa semana

    ResponderEliminar
  2. «Agora que já não tenho de me lançar num outro ano letivo, a angústia vem em forma de dúvida. Será que...»

    Também eu! Mas... acho que não.
    A música, sim! Como a poesia.

    Um beijo

    Lídia

    ResponderEliminar
  3. Aznavour e Amália. Não se pode comparar o incomparável...
    Quanto ao fim de férias e voltar à rotina, a Graça fará isso de uma forma corajosa, tenho a certeza.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada por me ter em tão boa conta... É todos os anos a mesma coisa...

      Beijinho.

      Eliminar
  4. Charles Aznavour, sem dúvida. Aqui, a nossa Amália ficou muito aquém da sua capacidade vocal. O 'tom' fadista, não se encaixou na canção, já o ritmo de 'pasodoble' de Aznavour só favoreceu o tema.
    Sabes que não conhecia esta canção? :)

    Quanto à melancolia que sentes, eu chamar-lhe-ia «síndrome de fim-de-férias». Vai passar! Tudo passa; eu que o diga!

    Beijinhos, Graça!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, Janita. Charles Aznavour sem dúvida! (Eu não sou grande fã da Amália, mas aqui não está no seu melhor)

      Beijinhos

      Eliminar
  5. As várias "angústias" que nos acompanham nas nossas vidas! Mas estas duas músicas ajudam para começar o novo período que aí vem.
    Boa semana.

    ResponderEliminar
  6. Gosto muito de Aznavour mas acho que nunca tinha ouvido esta música. Ou então estou mesmo com a memória fraca. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É muito, mesmo muito antiga. Mas muito bonita.

      Beijinho.

      Eliminar
  7. Também eu lido muito mal com o fim das férias... :(

    Olha, não conhecia este tema, ou pelo menos não tenho memória dele.
    Estive a ouvir as duas interpretações e sabes o que acho curioso? É que esta canção foi composta (letra e música) pelo próprio Aznavour mas quem a cantou com mais alma e melhor a interpretou foi a Amália. Uma canção que fala em "Morrer de Amor" não pode ser cantada com aquela ligeireza num ritmo de "chá dançante de domingo À tarde" :)

    Beijinhos Graça... e coragem!
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A nossa deusa é jovem de mais para se lembrar desta canção... Tens razão no que toca a «cantar com alma», mas eu prefiro o Aznavour...

      Beijinhos

      Eliminar
    2. Graça, a idade não tem nada a ver...
      Conheço muita música antiga!
      Pobre de mim se só conhecesse música contemporânea.

      (^^)

      Eliminar
  8. Gostei das duas versões.
    (acho que consigo gostar e não gostar do fim das férias, mas agora quero que durem mais uns dias)
    um beijinho

    ResponderEliminar
  9. Eis uma canção que a Graça
    devia trautear
    só para desempatar

    (Entre um e outro
    venha Deus e escolha)

    ResponderEliminar
  10. Gosto dos dois temas Graça, cada um com o seu estilo, mas lindos. Não conhecia, apesar de serem do meu tempo.
    Força para recomeçar o ram ram do quotidiano e sei que não te vais faltar.

    Beijinhos Graça

    ResponderEliminar