quinta-feira, 26 de maio de 2016

A máquina de lavar loiça

Relativamente às escadas rolantes que a Câmara Municipal de Lisboa vai disponibilizar para ligar o Martim Moniz ao Castelo de São Jorge, li não sei onde que os moradores estão contentes com a ideia, mas os turistas, pelo contrário, não concordam. Mas como não concordam pensei eu? Ninguém os obriga a utilizarem as escadas rolantes ou os elevadores ou seja o que for. Podem continuar a subir a pé até ao Castelo, até à Graça, até onde lhes apetecer e desfrutar da paisagem e do que mais quiserem…

A propósito – ou ao contrário, que nisto de associações de ideias, nunca se sabe – lembrei-me da conversa de uma senhora, aí pelos inícios dos idos de 80, no cabeleireiro que eu nesse tempo frequentava.

Então dizia a senhora, muito cheia de si própria, para a cabeleireira que a penteava: «Pois eu já arranjei maneira de deixar de ter empregada em casa! Comprei uma máquina de lavar loiça!» E perante o ar de estupefação de quem a ouvia – que a senhora fazia-se ouvir bem – lá continuou fazendo a defesa acérrima dos incríveis benefícios da máquina de lavar loiça, que fora a melhor das invenções, que a levou a dispensar a empregada, que nunca mais lavaria uma peça de loiça à mão e – espantem-se como eu me espantei e mais quem a ouvia – até tinha pedido ao marido para retirar o lava-loiças da cozinha!


(daqui)

14 comentários:

  1. Eu nunca fui ao Castelo. Pode ser que o faça este Verão, já que uma prima foi lá há dias e me disse que com o elevador já é bem mais fácil de subir. É que a pé era-me impossível. com os problemas de respiração caminhadas só em linha recta ou a descer.
    Tirou o lava-loiça? e lavava as frutas e legumes na máquina da loiça?
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma parvalhona, Elvira!

      Pois acho que deves aproveitar os elevadores e/ou as escadas rolantes porque vais adorar o Castelo e a vista!

      Beijinho.

      Eliminar
  2. A acessibilidade é tema que está cada vez mais na ordem do dia (e ainda bem). Aposto que aqueles que criticam serão provavelmente os primeiros a utilizar esses meios mecânicos de subida ao castelo. :)

    ResponderEliminar
  3. Uma "leiriense plásticos", na certa!:)

    Abraço

    LM

    ResponderEliminar
  4. hehehe... Ou a mulher era doida, ou veio a sofrer a maior decepção da vida dela, ou então estava simplesmente "a armar", fazendo-se "a mais esperta da rua dela" ao ter comprado aquela "máquina milagrosa" ! :))

    Um abraço, Graça !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gente parva, Rui... Nunca mais me esqueci das baboseiras que foi deitando pela boca fora... :))

      Eliminar
  5. Só nos falta que agora se satisfaçam primeiro os gostos dos turistas e depois os nossos :))))
    Bom fim de semana, bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, era o que mais faltava!!

      Bom fim de semana, papoila.

      Eliminar
  6. Sempre que aparecem inovações que de algum modo revolucvionam o nosso quotidiano, há cenas similares. Mas, é bom não esquecer, Cavaco foi eleito porque fez a campanha de 87 a dizer que sem ele não haveria frigoríficos, nem máquinas de lavar roupa e loiça. E as pessoas cairam ( como sempre) no conto do vigário

    ResponderEliminar
  7. Cada um faça como lhe aprouver, a outra até nem precisava de lava louça para subir ao céu ...
    Bj.

    ResponderEliminar