sábado, 13 de junho de 2015

Quadras ao gosto popular

No dia do aniversário de Fernando Pessoa – que é dia de Santo António – algumas quadras ao gosto popular do grande poeta do Desassossego.



O vaso de manjerico
Caiu da janela abaixo.
Vai buscá-lo, que aqui fico
A ver se sem ti te acho.

O cravo que tu me deste
Era de papel rosado.
Mas mais bonito era inda
O amor que me foi negado.

O manjerico e a bandeira
Que há no cravo de papel –
Tudo isso enche a noite inteira
Ó boca de sangue e mel.

Manjerico que te deram,
Amor que te querem dar…
Recebeste o manjerico
O amor fica a esperar.

Manjerico, manjerico,
Manjerico que te dei,
A tristeza com que fico
Inda amanhã a terei.

No dia de Santo António
Todos riem sem razão.
Em São João e São Pedro
Como é que todos rirão?



(Quadras ao Gosto Popular, Fernando Pessoa,
Edições Ática, 1969)

24 comentários:

  1. Gracinhamiga

    Santo António fazes falta
    ao Cavaco e ao Coelho
    para animar a malta
    um pontapé no joelho (dos dois e dos outros)

    (Uma modesta contribuição do Henrique Boa Pessoa)

    Bjs & qjs

    Pernoca Marota, o Enciclopédico, com ajuda à produção: Tradutor Google.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa, Henriquamigo!! Eu nunca lhes daria um pontapé no joelho.... if you know what I mean....

      Kisses and hugs.

      Eliminar
  2. Talvez o tempo justifique a ausência de desgarradas e quadras.
    Talvez a data deva ser apenas lembrada pelo que vale a pena lembrar dela.
    Por isso, não deixei vasos de manjerico na minha janela.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas eu vi lá uma janela com manjericos! Eu até trouxe um....

      Eliminar
  3. Sútil homenagem, Graça!
    Ao Pessoa e aos Santos... sem vasos nas janelas, por favor...
    Abraço.

    ResponderEliminar
  4. Nao tenho nenhum manjerico a minha janela. : (

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há sempre os virtuais e esses não caem da janela...:)

      Eliminar
  5. Quadras bem populares.
    Seriam mais belas ainda cantadas à desgarrada.
    Afina lá a garganta e cantemos tudo ou nada

    ResponderEliminar
  6. Um cravo de papel
    é coisa a que não aspiro
    de papel já me basta
    o ruído que respiro.
    Flores, só as verdadeiras
    Colhidas no teu jardim
    Como aquela rosa vermelha
    que me deste, um dia, a mim

    Lídia

    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que lindo, Lídia!!! Poeta é sempre poeta....

      Beijinhos

      Eliminar
  7. Tivemos, os alunos da Universidade Sénior do Barreiro, uma tertúlia poética em véspera de Santo António. Entre muitos poemas cantados, ou declamados a Santo António, também foram citadas estas quadras de Fernando Pessoa.
    Um abraço e bom Domingo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom, Elvira, que se divertem culturalmente! Abençoadas Universidades Seniores!

      Eliminar
  8. Em tempos ouvi estas (e outras) quadras cantadas à desgarrada!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  9. Santo António, casamenteiro
    Este ano nem te vi
    Trabalhei o dia inteiro
    Para fazer face ao IMI!!!

    bjs Graça

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para fazer face ao IMI
      À luz, à água e ao pão!
      E assim passará S. Pedro
      E nem verá S. João!

      Beijinhos

      Eliminar
  10. Não é só na grande terra
    que os poetas cantam bem:
    os rouxinóis são da serra
    e cantam como ninguém

    Ser artista é ser alguém!
    Que bonito é ser artista...
    Ver as coisas mais além
    do que alcança a nossa vista!


    Duas quadras de outro António : O Aleixo!

    Nada têm a ver com o Santo nem com Pessoa, mas têm a ver com a sabedoria popular!!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse António, o Aleixo,
      A fazer quadras não tinha par
      Deixa-nos caído o queixo
      Co'a sua sabedoria popular!

      Beijinhos, Janita.

      Eliminar
  11. E vivam os Santos Populares !!! :)
    Gostei das quadras !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viva o 10 de junho
      E a Restauração (se o governo mudar...)

      Eliminar
  12. Gosto dos santos populares
    à mesa das sardinhas

    ResponderEliminar