sábado, 27 de junho de 2015

Je suis grecque!

Aujourd'hui moi, je suis grecque!




29 comentários:

  1. Corria o ano de 69 quando esta estupensa canção apareceu.
    Pena estes cantores não anglo-saxónicos sejam menos conhecidos do público. Os franceses, os gregos, os espanhóis, os italianos... :( ... Acho que vou arranjar um cantinho no meu Blogue Não anglo-saxónico !

    Obrigado Graça

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho muito bem, Ricardo!!! Nos anos 60 a música francesa era de muito boa qualidade. Eu gosto - e sempre gostei - imenso.

      Beijinho

      Eliminar
    2. Graça eu sempre gostei muito dos cantores latinos sejam eles oriundos de que país forem e muito dos franceses !

      Eliminar
  2. Η ιστορία του Έθνους γράφτηκε με ΟΧΙ, το ΟΧΙ του 1940 το ΟΧΙ του Τάσσου Παπαδόπουλου στο σχέδιο ΑΝΑΝ το ΟΧΙ της 5 Ιουλίου στη ταπείνωση μας

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ematejoca, faço minhas estas tuas palavras......

      Eliminar
  3. Tal como o Ricardo Santos diz, mas no meu caso é o inverso ! Na minha adolescência (quando ouvi mais música), eram precisamente os franceses, os italianos, os espanhóis e os gregos muito mais conhecidos que os anglo-saxónicos !
    Talvez uma questão de língua. O espanhol e o italiano eram pouco mais difíceis de entender que o português; no meu tempo de liceu estudava-se 5 anos de francês e apenas 3 de inglês. O cinema seguia a mesma linha das canções e o inglês só começa a ser mais falado já nos anos 70 .
    ... e se eu lhes disser que o meu filho de 1965 nunca teve uma hora de inglês até entrar na faculdade de engenharia e mesmo aí, foi "inglês técnico" e só 1 hora por semana ! ... e já agora complemento: valeu-lhe a ida para a Dinamarca fazer o Erasmus, acabou o curso e arranjou emprego por falar bem o inglês, que "praticou intensamente" durante meio ano (português sozinho) na Dinamarca ! :))

    Seria interessante, Ricardo ! :))

    Bj, Graça ! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também sou desse tempo: cinco anos de francês e três de inglês. Mesmo quando comecei a dar aulas, em 1973, eu, professora de inglês tive de dar Português e até História porque no Ciclo Preparatório a língua obrigatória era ainda o francês.

      Bisous....

      Eliminar
  4. Se bem me lembro tive francês logo no primeiro ano do liceu e e continuei até ao 5ºano e inglês do terceiro ao 5º, tal como tu! A sensação que tenho é que as aulas eram basicamente de gramática nunca falávamos nada :)))
    Sem dúvida a música (e os filmes) foi a grande responsável por me ajudar a falar tanto francês como inglês, ainda hoje me espanto quando ao ouvir músicas muito antigas ainda lhes sei as letras!!! Confesso que nalguns casos nem sabia o que dizia :)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aconteceu exatamente o mesmo comigo e com muitos dos meus colegas... O que eu aprendi de francês e de inglês com as letras dos discos que tirávamos diretamente da audição dos mesmos...

      Eliminar
  5. Ah, o que eu adorei este Georges Moustaki, Graça, o que o idolatrei!

    Já publiquei esta canção "Le Métèque", mas cantada por ele em português! Quando nos anos setenta ( creio) passou por cá. O sotaque é maravilhoso!

    Era um homem lindíssimo. Uma delícia...passei tardes a ouvi-lo!

    Hoje és grega? Eu acho que fui sempre!!

    Beijinhos e obrigada por me trazeres este homem de volta...:)

    Janita

    ResponderEliminar
  6. Claro que somos todos gregos !
    Lamento muito profundamente a "má sorte" do "povo grego", claro, como uma esmagadora maioria o lamenta ! ...
    ... mas penso que haverá muita gente que entenderá que "o povo grego" não seja bem "o povo grego" ! (?)
    .

    ResponderEliminar
  7. "A questão é esta: em vez de colocares um único cão a salivar sem alimento à sua frente, só por causa do toque da campainha… condicionamento clássico…colocas milhões com medo também só com o toque da campainha.

    - Mas pode um continente comportar-se como um cão?

    - Pode."

    ResponderEliminar
  8. Bom dia Graça
    Penso que somos todos gregos.
    Sinto um nó que estrangula lentamente, prolongado a agonia dos famintos desta europa que nada tem do prometido.

    ResponderEliminar
  9. ~~~
    ~ Menina, que espécime!! Que boa ideia!!
    ~ Parece bom carácter... Por ele, talvez desse para ser grega e troiana; judia e egípcia; italiana e francesa...


    ~ Angie está preparada
    para aparecer, com asinhas hipócritas, como a grande salvadora da Grécia...

    ~ ~ Sempre com os gregos!! Contra as aves de rapina!!
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  10. Como eu gostava de cantar esta canção do Moustaki!E agora ainda mais!!!
    (ontem apeteceu-me rever Zorba, o Grego. E gostei de rever...)
    Bom domingo

    ResponderEliminar
  11. Como eu gosto deste tema (musical). O político, esse já assusta...

    ResponderEliminar
  12. Nós iremos pelo mesmo caminho, se nada mudar na Europa.

    Trocámos a nossa independência por euros...

    ResponderEliminar
  13. Nós iremos pelo mesmo caminho, se nada mudar na Europa.

    Trocámos a nossa independência por euros...

    ResponderEliminar
  14. Gracinhamiga

    Isto só vem comprovar que a Fräu Angela está a conseguir pelas Finanças o que o Adolf não conseguiu manu militari. Penso até que ela vai publicar o Mein Kampf revisto e aumentado...

    Pobre Grécia e pobre (des)União Europeia; salva-se Portugal porque tem os cofres cheios, Albuquerque dixit...

    Bjs da Kel e qjs cá do lisboeta

    ResponderEliminar