segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Primeiro beijo

Foi mesmo há muitos, muitos anos como é de prever, mas não há um único nove de Fevereiro em que não me lembre. (Sou muito boa em datas o que não sei se será uma vantagem ou um problema.) Foi num fim de tarde de um dia nove de Fevereiro - era uma segunda-feira de Carnaval - que dei (ou me deram...) o meu primeiro beijo. É daquelas recordações de adolescência que nunca mais esquecem, não é?

Foi um beijo mais ou menos assim....


Ou assim...



Mas não foi destes assim....




27 comentários:

  1. : )))

    Excelente memória! : ) Em termos de datas... O primeiro beijo nao se esquece.

    ResponderEliminar
  2. Ah, Graça... o primeiro beijo, meio sem querer, com receio de querer, sem saber como e a querer saber, meio bobo, desajeitado às vezes, mas repleto do mais bonito romantismo, de inocência genuína, u-lá-lá, que lá vai o tempo há já tanto tempo.
    Bonita lembrança.
    O meu primeirinho foi tão desajeitadito, mas também lembro o dia. Ai que mulher tem cada mania. não é não?

    bj amg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Minha querida, os primeirinhos são sempre algo desajeitados....Mesmo assim, nunca se esquecem.
      Obrigada pela visita. Beijinho.

      Eliminar
  3. O primeiro beijo fica sempre na memória.
    No lado mais ternurento da memória.
    Beijinhos deste lado do Mundo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diz muito bem, Pedro: «no cantinho mais ternurento da memória»...

      Beijinhos ocidentais...

      Eliminar
  4. Excelente memória. A minha é péssima. Beijos como o da última foto só se viam no cinema. E no fim da "fita".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ui! Os beijos a sério eram "cortados" pela censura...

      Eliminar
  5. Que memória prodigiosa!!! Com data e tudo...sem recorrer ao "diário"!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Juro que não fui ao "diário"... se bem que o registo lá conste!

      Eliminar
    2. Que boa organização!...eheheheheh

      Eliminar
  6. ~ Acontece que, por vezes, é uma deceção: foi o que me aconteceu.

    ~ Era um amigo desde os primeiros dias de escola. Tínhamos 18 anos e era, para ambos, a primeira vez.
    ~ Foi um ósculo, que não me provocou nenhuma emoção. Fiquei chocada e depois de muito pensar, cheguei à conclusão que gostava dele apenas como um querido amigo. O que deveria unir-nos teve um efeito contrário.

    ~ O certo, é que fui o grande amor da sua vida, esperou-me até me casar e a esposa dele sempre soube disto. Relacionamo-nos ainda ocasionalmente, por iniciativa minha, porque um dia descobri que ela ainda tem ciúmes... Depois de tanto tempo!
    ~ ~ ~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O amor tem dessas coisas. A Florbela Espanca tem um poema em que diz que no amor há sempre um que ama e outro que se deixa amar...

      Eliminar
  7. Sinceramente, não consigo lembrar a data. Nem sequer o ano e o mês, quanto mais o dia? Lembro-me da parceira e já não é mau :-)
    Bem, mas dizem que os homens são muito esquecidos nestas coisas, por isso não vou começar a pensar que o tio alemão já anda cá por casa. Gostei muito das fotos. Especialmente da do meio, porque desmistifica aquela frase " tens um coração duro como uam pedra".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa "descrição" da segunda foto. Também a acho muito original, diferente.

      Eliminar
  8. A questão está em saber se mais... se menos... rs rs rs

    Saudações poéticas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois.... também não sou capaz de dizer - acho que foi mais....

      Eliminar
  9. Venho por este meio informar, todos os "clientes assíduos" deste espaço, que não fui eu o beneficiário!
    Mas até que não me importava nada de ter sido.
    Como diz a canção FLAGRA da RITA LEE, tudo se passou "No escurinho do cinema, chupando drop's..., longe de qualquer problema...".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não foi nada "no escurinho do cinema".... foi na rua: numa ruinha da tua/nossa Sintra...

      Eliminar
  10. Impossível esquecer o meu primeiro beijo, Também não esqueci a data!
    Há coisas que nos marcam para sempre.
    Gostei muito do texto e das imagens.

    Então mais um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As mulheres nunca esquecem estas coisas importantes da vida sentimental... Obrigada por gostares destas minhas «mimalhices»...

      Beijinho

      Eliminar
  11. o primeiro é sempre para ganhar balanço...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O facto é que não houve balanço. Ficou quase por ali...

      Eliminar
  12. Ah, o primeiro beijo!! Sempre associado ao primeiro amor...ou não?

    Não me lembro do dia , da hora nem do mês, mas do meu primeiro amor e, quiçá, o verdadeiramente único e inesquecível, lembro-me como se tivesse sido ontem!
    Talvez por ter tido apenas princípio e fim...sabes?

    Dos beijos que nos trazes, gosto muito do das rolinhas! Não é bem um beijo, é um acariciar, uma espécie de preliminar!!!
    O 2º muito áspero e sem calor e o terceiro demasiado técnico...:)

    Olha lá o que te havias de lembrar! 9 de fevereiro? Excelente memória!
    Sabes o que eu gostaria, agora de ter?

    Quero o meu primeiro beijo
    não quero ficar impune
    e dizer-te cara a cara
    muito mais é o que nos une
    que aquilo que nos separa...mas separou!

    Beijinhos do dia seguinte!!

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também pensei em pôr esta canção do rui Veloso, mas depois retrocedi porque pouco ou nada tinha a ver com o meu primeiro beijo... Quanto ao primeiro amor, parece que temos muito em comum!

      Beijinho

      Eliminar
  13. Isto é que memória!
    Um beijo adolescente-inocente que marcou! É bonito recordar estas proezas.
    Penso que os homens não guardam a informação. Tenho a memória de um namoro começado em vésperas de Carnaval, depois da farra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Homens!!!! Tenho a certeza que "ela" se lembra bem....

      Eliminar