domingo, 5 de março de 2017

Devo ser mesmo o diabo!

Que fique aqui bem claro que não venho em busca de palavras de conforto dos meus amigos que tantas vezes fazem o favor e têm a generosidade de mas prodigalizarem …

Como considero este espaço um diário de bordo, um weblog, costumo aqui registar os momentos, os acontecimentos, os sentimentos, as emoções que mais me tocam.  É o que, uma vez mais, vou fazer.

Devo ser o diabo!! Hoje de manhã, encontrei dois ex-colegas lá da “minha” escola e, de alguma forma, fiquei indisposta. Uma foi “minha” vice-presidente nos meus tempos de presidente do Conselho Diretivo nos idos de 80. Colegas e amigas. Tive várias equipas porque, desde finais de 70, dirigi, sempre que foi necessário e não havia mais ninguém disponível, a escola – mais tarde agrupamento – e, felizmente, sempre consegui uma especial parceria, uma familiaridade, uma cumplicidade até entre os vários membros. Para isso concorriam o trabalho que tínhamos de desenvolver em comum, as muitas horas que trabalhávamos juntos e as por vezes, muitas vezes, difíceis decisões que tínhamos de tomar.

Pois essa minha ex-colega, ex-vice, ex-amiga dizia (hiperbolicamente, claro!) que tudo o que sabia (em termos de gestão, naturalmente!) tinha aprendido comigo. Hoje – aliás como de há uns anos para cá – falou-me fria e superficialmente sem sequer olhar para mim.
Saí da frutaria onde nos cruzámos com essa quase mágoa e passa por mim um outro dos meus ex-colegas – esse, porém, não meu ex-amigo – que recebi no meu último grupo de trabalho para evitar que fosse dar aulas, que não era das tarefas que ele mais gostava de desempenhar, num momento de regresso à escola após um destacamento terminado e a quem consegui passagem para o nono escalão que ele, por si só, não conseguira – passa por mim, dizia eu, de cara fechada, zangada, azoada, e nem ao meu marido foi capaz de dar os bons-dias…

Devo mesmo ser o diabo!! Ri-me, pois que mais?

Mas logo, logo relembrei como me “apunhalaram pelas costas”; logo, logo revivi as trapaças que, com o seu grupo de amiguinhos congeminaram para porem lá um diretor fraquinho, facilmente manipulável pelo lobby; logo, logo me doeram as reuniões em casa de uma delas – que sempre se fez, e faz, minha amiguinha – para me afastarem.

As fraudes foram várias e queixámo-nos delas, mas os “superiores” e os Inpetores em educação pouco querem saber do que se passa nas escolas desde que lhes apresentem papeis com muitos gráficos coloridos e muitas frases bonitas.

E afastaram-me, mau grado as velhacarias e a má-fé. Mas, ao fim deste tempo todo – sete anos passados – são eles que não me falam!

Devo ser mesmo o diabo!

(brinco muito com o diabo e o inferno… costumo dizer que sou tão má que, quando morrer, vou logo de cabeça para o inferno, mas quantas as pessoas boazinhas que lá vou encontrar!!!...)



26 comentários:

  1. Devo ter alguns anos a menos que a minha querida amiga. No entanto, devo dizer-lhe que atitudes como estas que descreve não me surpreendem. Feliz ou infelizmente fiquei imune.

    ResponderEliminar
  2. Esses ex-colegas é que me parecem que o podiam ser, a Graça, não!
    um beijinho e uma boa semana
    Gábi

    ResponderEliminar
  3. Pois...mas isso só quando lá chegares é que vais saber, Graça.
    E tomara que não o saibas tão cedo...

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. Agradar a todos
    só entre tolos

    A procura da unanimidade é um bom desígnio
    consegui-la é um mau desfecho

    ResponderEliminar
  5. És poderia ser a minha história. Onde há colegas as cenas são as mesmas, só mudam as pessoas mais :=}

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. *a palavra *mais* está a mais...
      Kis :=}

      Eliminar
  6. Diz que o comentário foi publicado embora não o veja
    Kis :=}

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas foi, Avogi!!! Chegou cá e agradeço.

      Beijinhos.

      Eliminar
  7. É o diabo as partidas que a vida nos prega. O diabo em pessoa(s).
    Boa semana.

    ResponderEliminar
  8. A nossa vida está cheia de gente como essa, Graça.
    Falsos, hipócritas.
    Que bem no fundo são uns tristes.
    Beijinhos, boa semana

    ResponderEliminar
  9. Esse tipo de colegas há em todos os setores, infelizmente. Fica a nossa consciência de termos cumprido de acordo connosco e os nossos princípios. Um abraço.

    ResponderEliminar
  10. Há sempre uma competição no mundo do trabalho e não só!
    Quando não me conseguem olhar nos olhos ... está tudo dito pois há uma fraqueza escondida ... inveja notória ou infelicidade pessoal!
    Também vivi algo semelhante pois fui diretora e coordenadora mais de 20 anos em 35 de carreira! Bj

    ResponderEliminar
  11. tens mesmo de rir, Graça.
    amigos assim há em todos os sítios...

    ResponderEliminar
  12. Graça, os carneiros são mesmo assim, alvo de invejas e injustiças.
    Mas eu lido bem com isso, simplesmente ignoro-os, não tenho paciência.

    Aliás até és uma boa diabinha :)

    beijinho

    O Toque do coração

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já deu para ir até ao teu Toque do coração - e gostei, naturalmente!

      Beijinhos de carneirinho para carneirinho...

      Eliminar
  13. Cara amiga e parceira de ofício Graça Sampaio.
    Já passei por situações similares...
    Me aposentei no cargo de regente em 2012 e no cargo de Coordenador Pedagógico em 2013.
    No ano passado estava a bordo de um vagão do metrô paulistano, quando vi sentado num banco não muito distante do que estava acomodado, um ex-parceiro de ofício do Educandário que eu ocupava o cargo de Coordenador Pedagógico, na municipalidade paulistana, quando tentei cumprimentá-lo acreditas que fez que não me viu e, como desembarcou antes, levantou altivo e de cabeça erguida a ignorar-me por completo.
    Sinto muita falta dos meus amados ex-regidos, mas nem um pouco do cargo de Coordenador Pedagógico, onde tinha a função precípua de mediar e facilitar o labor pedagógico de regentes corporativistas.
    Ficava constrangido quando alguns deles tinham conhecimento que práticas pedagógicas de minha lavra - bem sucedidas - com meus amados ex-regidos, eram publicadas em periódicos e revistas e diziam sarcasticamente:
    - Quanto pagastes para que esta reportagem fosse publicada?
    Caloroso abraço. Saudações desabafadas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

    PS - Já que estamos a falar dos percalços do nosso árduo fascinante ofício lembrei-me desta imperdível película:
    https://www.youtube.com/watch?v=nXaEf4ktpPA

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não dá para entender esses comportamentos, pois não?! Enfim!
      Inveja? Só pode!

      Inté, meu querido Professor João Paulo!! Beijinhos.

      Eliminar
  14. Infelizmente é assim. O mundo do trabalho está cheio de gente que gosta de prejudicar os outros. Compreendo o que sente, Graça.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  15. Claro que eu não te conheço desde esses velhos tempos, mas ... se eras uma diabinha, devo dizer-te que ficaste muito bem na foto com a caudinha a dar a dar ! :)

    Beijinhos endiabrados ! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só mesmo tu, Rui!!!! :)))

      Beijinhos da diabreta...

      Eliminar
    2. Cara Amiga e parceira de ofício Graça Sampaio.
      O nosso estimado Professor Rui da Bica está sob a influência da lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê.
      Estou jubiloso em saber que ele também é deboista.
      Caloroso abraço. Saudações deboistas.
      Até breve...
      João Paulo de Oliveira
      Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

      Eliminar
  16. Gente falsa e hipócrita, é o que mais existe neste mundo.
    Gosto dessa diabinha.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  17. Encontro infeliz!
    Nem percas tempo com mágoas, pensa no que fizeste bem e eles que vivam com o azedume...
    Bjs

    ResponderEliminar
  18. Meus queridos, obrigada por me "ouvirem" e compreenderem.
    Sois mesmo uns queridos!

    Thanks a lot!!

    ResponderEliminar
  19. A inveja é um chicote impiedoso...
    Eu que o diga, que ando a senti-lo em carne viva...
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  20. Qual diabinho, qual quê, Gracinha!!! És um amor de criatura!!
    Mas olha que aquela criaturinha de cauda a abanar parece uma doçura!! : ))

    ResponderEliminar