terça-feira, 27 de setembro de 2016

De volta a Óbidos - Folio

Teria gostado de ir lá no 3º dia do Festival, sábado, dia 24, mas não deu. Havia o José Gil a falar sobre a Utopia em Fernando Pessoa, e o Manuel Alegre e o Bernardo Pires de Lima a discutirem a atual situação da Europa, e a Luísa Costa Gomes e o Jacinto Pires de Lima a falarem de literatura e de teatro, mas não deu...

Fui no domingo, dia 25 e também gostei. Óbidos estava / é linda, cheia de sol, de luz, de flores e de gente por todo o lado.













Pilhas de livros a muitos bom preço, mas como comprar mais e mais livros se depois não há tempo para os ler, nem já sítio para os arrumar?

E depois aproveitar para assistir à conversa de Ana Margarida Carvalho, Lúcia Bettencourt e Richard Zimler moderada pela escritora e crítica literária Helena Vasconcelos em volta do "dito! romance histórico.

Não ia muito entusiasmada com o tema porque atualmente os "ditos" romances históricos brotam como cogumelos em estilo best-sellers, isto é, sem grande qualidade literária. Mas, surpreendentemente, acabou por ser um belo momento (hora e meia que passaram a correr) de discussão de grande qualidade e com grande simplicidade sobre alguns dos livros daqueles autores.

Ana Margarida Carvalho referiu-se ao seu último romance «Não de Pode Morar nos Olhos de um Gato» sobre a vivência da escravatura pelos portugueses no Brasil - deve tratar-se de um romance bem violento mas de uma construção bastante inovadora.

Lúcia Bettencourt, escritora brasileira, que nos confidenciou que passara a sua lua de mel em Óbidos, falou com aquela tom natural, alegre e doce que os brasileiros tão bem usam, sobre os seus romances algo históricos «A Secretária de Borges» e um mais recente sobre o fim da vida de Rimbaud.

E Richard Zimler, uma simpatia aberta, que falou especialmente do seu primeiro romance «O Último Cabalista de Lisboa» sobre a vida dos judeus (sendo ele próprio judeu) em Lisboa no tempo anterior à entrada da Inquisição em Portugal, aludindo depois aos «Anagramas de Varsóvia» do tempo da II Guerra Mundial. 

Muito interessante!



É um mimo, Óbidos!!




20 comentários:

  1. Um belo evento cultural num lugar fantástico!
    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma vila de sonho, de conto de fadas...

      Beijinho.

      Eliminar
  2. Só fui a Óbidos uma vez... e já ando a prometer lá voltar há tanto tempo que até já perdi a conta!
    De vez em quando vou lá via Google Maps... e foi lá que "conheci" aquelas buganvílias da última fotografia :)

    Beijinhos óbidos, digo, óbvios
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens de cá vir passar um fim de semana com o teu «mais que tudo» UI! Que romântico!!!

      Beijinhos ábidos....

      Eliminar
  3. Encanta-me o cuidado que se evidencia em Óbidos! E, claro o nobre espaço para a cultura! Obrigada, pela partilha.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É sempre um gosto, Célia! Adorei ouvir falar a sua conterrânea Lúcia Bettencourt! E hei de ler um dos seus livros.

      Beijinho.

      Eliminar
  4. Um passeio virtual que muito me agradou.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom, Pedro! É sempre um gosto poder mostrar as nossas belezas.

      Beijinho.

      Eliminar
  5. Lindíssimas fotografias de Óbidos,adorei bastante a tua publicação!! Continuação de boa semana para ti,fica bem querida,muitos beijinhos!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Sandra, pelas palavras e pela visita.

      Beijinho.

      Eliminar
  6. Bela reportagem, recantos e encantos que me encantam sempre que lá vou. Agora com o Folio ficou ainda mais rica de leituras e escritores.
    Infelizmente este acontecimento vai-me passar ao lado devido a problemas de saúde que me deixam enclausurada durante uns tempos.
    Pelo menos espero ficar bem para o nosso encontro.

    Beijinhos Graça

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cá te esperamos e de perfeita saúde e disposição, Manu!

      Beijinhos aqui do Oeste...

      Eliminar
  7. Gracinha, tu sabes bem, como eu adoro a tua veia literária.

    Muito obrigada por esta excelente reportagem, tão ao meu gosto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, ematejoca, pelo teu elogio. Gosto mesmo de literatura! Da boa. Sou mesmo de Letras... :)))

      Beijinho.

      Eliminar
  8. Também acho Óbidos uma vila deliciosa. E não estou a pensar só na ginjinha em copinhos de chocolate... nham, nham. Mas claro que esse género de eventos aproveitam a quem vive por perto. Temos sorte de nos ires contando o que por lá se passou de mais relevante... ;)

    Beijocas

    ResponderEliminar
  9. Teté, minha querida, há que «lançar mão» de tudo para manter o blog vivo... :)))

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  10. simpática iniciativa, sem dúvida.

    perco-me por esses locais...

    beijo

    ResponderEliminar
  11. Uma maravilha!
    De reportagem e de evento.
    Tenho e pensar em rumar a Óbidos...
    ~~~ Beijinhos literários ~~~

    ResponderEliminar
  12. Óbidos é um lugar tão bonito! E então com um festival assim... :)

    ResponderEliminar
  13. Deve ter sido muito interessante, Óbidos tem muitas actividades culturais tenho uns amigos que vão lá muito a festivais de música.
    Já lá estive várias vezes mas há uns anitos que lá não vou.
    Bjs

    ResponderEliminar