segunda-feira, 18 de maio de 2015

Onde estão os cajados portugueses?

(daqui)


“Onde estão os cajados portugueses
que algum dia se ergueram
Em defesa da honra e da justiça?
Marmeleiros lustrosos
e castanhos robustos,
onde estais ,onde jaz adormentada
vossa força elegante
em justiceiros giros,
que não saís de novo
contra quem vem - o verso é de Os Lusíadas -
a despir e roubar o pobre povo ?
O doce chão da Pátria
vê-lo-ás empenhado em mãos de usura;
já todo o Portugal,
do extremo norte ao sul
(menos a parte inchada da fartura),
pendurado se vê do Prego imenso
e do Prego pendendo se balança
do Minho verde até o Algarve azul !"....


Éclogas de Agora - Afonso Lopes Vieira, 1935


18 comentários:

  1. Só mesmo Afonso Lopes Vieira, com o seu olhar lúcido e visão projectada para o horizonte, poderia ter escrito este belo e profetizador poema!

    Os paus de marmeleiro já não bastam para mudar este nosso chão Português

    Quando muito servirão para apoiar os espoliados e alquebrados que ficaram vergonhosamente esquecidos entre o Prego e .a mendicidade...:(

    Beijinhos, Graça

    Janita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente assim é, Janita.
      Vergonhosamente triste. Muito lamentável.

      Beijinhos

      Eliminar
  2. "O doce chão da Pátria
    vê-lo-ás empenhado em mãos de usura"
    e
    ainda tal dura

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E por quanto mais tempo durará? Infelizmente.

      Eliminar
  3. Há uma invasão de corruptos e corruptores por todo o mundo realmente!
    Infelizmente!
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mau de mais, não é Célia? Mau de mais!
      Beijinho

      Eliminar
  4. Está tudo muito sossegado, Graça.
    Com um PR preocupado.
    Muito se preocupa aquele homem!!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Graça????
    Vi no meu blog o nome Carol, não associei à Graça.
    Os cajados, nos dias de hoje, só servem para apoio dos pobres camponeses do interior esquecido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É que eu, quando iniciei este blog, era a carol (que era o meu nome quando dava aulas de inglês) , mas depois o Google decidiu, não por que carga da água, chamar-me pelo meu nome verdadeiro e pronto!

      Beijinhos

      Eliminar
  6. Tudo está sossegado! A tolerância assustadora.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cambada de morcões, estes portugas, Adélia! Até dói!

      Eliminar
  7. Pelo sim , pelo não , tenho um grande cajado feito por um artesão amigo, à entrada , num recipiente em cobre , onde se colocam os guarda chuvas...também lá tenho um colherão , que servia para mexer a calda das alheiras...tudo vintage , mas muito útil.
    M.A.A.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E devem ser bem giros, M.A.A.!
      Ainda bem que não sei onde é a sua casa, senão ainda corria o risco de ser corrida a colherão!.....
      Beijinho

      Eliminar
    2. Não Graça, pode ter a certeza que já a reconhecia e se vier, é bem recebida e pode trazer outro amigo também....Agora que o cajado é uma obra de arte em marmeleiro , é.
      M.A.A.

      Eliminar
  8. Respostas
    1. Infelizmente sem resposta, Cláudia.
      Grata pela visita.

      Eliminar