sábado, 30 de maio de 2015

A Leiria de há cem anos

Amigos, vejam-se transportados à Leiria de há cem anos!

A notícia veio no jornal «O Século de Leiria» do dia 30 de Maio de 1915 e dizia assim:

«ACTUALIDADES LOCAES

Festas da cidade

É nos dias 30 e 31 de Maio que se realizam estes festejos que prometem atrair a Leiria inúmeros forasteiros.
Além das solenidades religiosas e bodo aos pobres na Igreja do Espírito Santo, haverá iluminação, tiro aos pombos, theatros, 2 touradas, no sábado à antiga portugueza e no domingo começará a tourada por uma ferra de novilhos, rancho de tricanas, fogo do minho, etc. etc.
Para o público apreciador de theatro há boas notícias, pois vem da capital a Companhia de Theatro Éden, já com dois annos de reconhecida existência.
Em boa hora a Companhia evita os distúrbios na capital e estreia peça na cidade do Liz, com Palmira Bastos, Augusto Melo, Robles Monteiro e Amélia Rey Colaço no elenco. 
A estadia na cidade serve ainda de preparação para evento igualmente magestoso em Braga, na cidade Augusta.
A comissão dos festejos pede aos habitantes da cidade para decorarem durante os dias de festa, as fachadas de suas residências, o que agradece...»

(Nota da editora:o texto segue a ortographia do antiquíquíquíssimo Acordo Ortográfico....)

De facto, hoje, 30 de Maio de 2015, exatamente cem anos passados, não houve tourada, nem bodo aos pobres, nem teatro com a Companhia de Robles Monteiro, nem fogo do minho... Mas viu-se muita gente daqueles tempos.... Ora reparem.












































Uma enorme azáfama!!


30 comentários:

  1. Excelente grupo de fotos, Graça!

    Leiria tem um significado especial para mim...

    Tenho pena de há anos não ir aí.

    Bons sonhos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podes vir! Há cá um quarto suplente para as amigas...

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Maravilha de reportagem! Vi algumas fotos no Face, mas não tantas.

    Beijinho Graça e um bom domingo.

    P.S. Amiga em Maio faz anos a filhota e os seus dois filhos mais velhos, o mais novo é de Abril. Quanto às prendas, têm o meu amor e presença, sempre :))

    ResponderEliminar
  3. Como eu gostaria de ter aí estado!
    Tenho amigos em Leiria.
    Olha se não tivesse havido, entretanto, um novo acordo ortográfico! ; )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eheheheheh....

      Podes vir, Catarina! Há um quarto suplente cá em casa...

      Eliminar
  4. parabéns a essas pessoas que fazem com os dias sejam diferentes e mais decorativos :!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que trabalhêra que lhes dá! Mas parece-me que até gostam mesmo com muito trabalho.

      Eliminar
  5. Pois, cem anos depois, não houve bodo aos pobres - que bem preciso era - touradas- bem dispensadas - nem Teatro, mas houve festa, boa gastronomia regional, artesanato local e actuação do Rancho Folclórico! De tudo isso nos deste tu uma bela reportagem fotográfica!
    Muito bonito, Graça! Todos trajados a preceito
    Adoro estas festividades e feiras regionais, ultimamente, tenho saído muito pouco.
    Agradeço teres partilhado connosco esta iniciativa Leiriense!

    Beijinhos e bom resto de domingo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que gostaste, Janita.

      Tens saído pouco? Espero que não por doença....

      Beijinhos e tudo bom.

      Eliminar
  6. Lindíssimo, Graça. Há cem anos, em Leiria, era a sério...
    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Seria? Acredito que sim. O pior foi o período cinzento em que se mergulhou depois de 1926...

      Eliminar
  7. Há datas que contam nossa história e não podemos apagá-la da memória!
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem devemos, cara Célia!

      Beijinhos e boa semana

      Eliminar
  8. Pena que tivessem acabado com o BODO! Aí bem perto, em Pombal, ainda mantem a tradição, cuja origem remonta ao período medieval.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem sei e já houve recriações às quais eu nunca assisti...

      Eliminar
  9. Grande festa! Gosto imenso destas recriações históricas. E gostei também muito da nota ortográphica. :)

    ResponderEliminar
  10. Que animação amiga Graça !
    As touradas não fazem falta, mas o bodo aos pobres até que dava jeito, pois cem anos depois só mudou a ortografia.


    Um beijinho e boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente assim é, querida Fê!
      Quanto às touradas, também sou de opinião que não fazem cá falta nenhuma. Já nem devia haver!

      Beijinhos e boa semana.

      Eliminar
  11. Muito agradáveis estas festas tradicionais. Uma noticia antiga muito interessante com uma peça de teatro com alguns grandes do nosso teatro com a Dona Palmira Bastos... As fotos estão muito boas Graça !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Ricardo! Ainda a conheci em vida naquela peça em que ela terminava o ato a dizer: «Morrer? Mas de pé como as árvores!» e o teatro vinha abaixo com palmas...

      Eliminar
  12. Muito interessante de facto. Aliás prefiro destas do que as ditas feiras medievais; mas cada um é (felizmente) livre de apreciar as feiras que entender.
    Na 4ª fotografia, tu não estás ali de "capeline" posta? Ora confessa lá...
    As tendas que mais apelam à minha atenção são as dos enchidos; não sei como explicar isto...
    Beijos mostrados com sorrisos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem que gostaria de ser eu mas, para isso, teria de recuar uns 20 anos pelo menos....
      Também não entendo porque será que te atraem as tendinhas dos enchidos.... eheheheheh.....

      Eliminar
  13. Organizar uma feira destas deve dar uma trabalheira e tanto.Mas o resultado parece muito bom... :)

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi muito giro. E o tempo ajudou - estava muito sol e nem por isso esteve muito calor. Calhou bem.

      Beijinhos

      Eliminar