sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Carlos Cruz



Devo ser das poucas pessoas neste país que nunca gostou nada do Carlos Cruz! (É como dos Madredeus, mas isso não é para hoje). Andei em “Germânicas”, na segunda metade dos anos 60, na Faculdade de Letras de Lisboa e nunca esqueci o que lá se sabia sobre ele.

Sempre o achei um pedante, armado em moderno e até mesmo no Zip Zip, programa inovador de referência daquele tempo na RTP que viveu à custa do Raul Solnado (e, segundo dizem, do Fialho Gouveia), o achei algo fingido com aquelas gargalhadas forçadas que dava perante as “unhadas” que o Solnado cravava na “situação”.

De fugir quando, nos anos oitenta, passou a apresentador de concursos – o Um, Dois, Três e outros – em que gozava indecentemente com os concorrentes, usando-os como bonecos animados que manipulava conforme lhe apetecia até lhes conceder ou não a dádiva de ganharem um carro pelo ColaCau. Humilhante!

E depois, muito mais tarde, já nas televisões privadas, aquele programa incrível, de que não consegui ver mais do que uns breves episódios em que conversava com umas criancinhas pseudo-génios a quem fazia perguntas de “cultura geral” - que é outro conceito absolutamente parolo deste nosso país à beira mar plantado.

De modo que, quando explodiu a “bomba” do caso de pedofilia em que se viu enredado e que o levou à prisão, não fiquei, como o resto do país, boquiaberta e em estado de choque. Caiu então um enorme silêncio decorrente do choque sobre esta figura tão mediática que aconselhava os portugueses a comprar semanas no hotel tal ou a guardar as suas poupanças no banco tal, aguardando-se os resultados.

Infelizmente os resultados apareceram apenas oito – oito! – anos depois. Este acusado, entre outros seis ou sete, foi condenado e este é que foi o grande “pecado” da juíza Ana Peres! Para além do próprio, que até tinha tido o topete de convocar uma conferência de imprensa para delatar os nomes de outros possíveis implicados que não foram molestados pela justiça, e do seu também mediático advogado, mais de metade do país esperava que o considerassem inocente!

E agora, para vergonha deste país, aí estão todas as televisões, cheiinhas de pena, a quererem branquear-lhe a imagem! E aí aparece um Carlos Cruz, cheio de razão (como sempre!), a bramar não contra as suas eventuais culpas, mas contra uma justiça que terá cometido uma série de ilegalidades. E, mais triste para todos nós, fica o olhar de compreensão, de comiseração, de dó de uma Judite de Sousa, olhar que fez também com o ex-deputado Duarte Lima (também ele bem embaraçado no caso da fortuna de Lúcio Tomé Feterira) e com todos os representantes do seu partido que, em nome da justa informação,  leva ao seu programa das quintas-feiras!

9 comentários:

  1. Não te esqueças de um dos últimos programas que ele teve na SIC, copiado do estrangeiro como quase todos, mas ao qual aderiu, seria por tendências????
    "As noites Marcianas", em que se fazia acompanhar por populares "maricas" da nossa praça!

    ResponderEliminar
  2. Esse, graças a deus, nunca vi!!! E ainda bem, pelos vistos...

    ResponderEliminar
  3. Transcrevo aqui o comentário completo da minha amiga A. que ainda não consegue escrevê-los directamente aqui.

    "Olá amiga!

    Tenho imensas saudades tuas...e não só! Acabei agora mesmo de espreitar o teu blog. Li-o com atenção e gostei muito do que li.
    Relativamente ao Carlos Cruz, concordo totalmente contigo. E não é por ser tua amiga. Apenas sinto por dentro o que escreveste! Não gosto nada mesmo nada de tal pessoazinha. Sempre o achei um vaidosão e apetece-me dizer acerca dele " fatos nos honram " , como diria a minha Mãe, se cá estivesse! Aquele homem não passa de um " tartufo " ! É uma verdadeira ilusão para algumas pessoas, umas por inocência, outras porque lhes convém, ou por se sentirem mais próximas de tal vaidade! Se eu soubesse publicar textos em blogs, registava este texto no teu blog a seguir ao teu ponto de vista sobre este personagem, que sempre achei irritante!!!...De facto não me espantei com o processo dele. Mas o famigerado ainda quer convencer que está inocente. Desisti há bastante tempo de ler artigos sobre ele. Não merece sequer as atenções que a nossa televisão lhe tem dedicado. É evidente que não assisti à entrevista dele. Enoja-me! Já devia estar a cumprir pena há muito tempo. Mas é claro com os mediáticos advogados que tem tudo é possível! Até continuar a preencher espaços em horas nobres! Admirei-me com o facto de conseguir uma entrevista com a Judite de Sousa! A não ser que a Judite de Sousa seja do mesmo calibre! Isso não sei, mas é pena que ela lhe tenha dedicado tamanho espaço!
    Querida amiga, mais uma vez estamos totalmente de acordo. Nem outra coisa seria de esperar.
    Os teus lindos netos como estão? Eu devia ter dedicado os primeiros parágrafos aos teus netos, que são uns Amores!!!!!......
    Beijinhos e bom fim-de-semana...
    A."

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  7. E,a somar a todos os favoritismos,a morosidade da justiça portuguesa deixa em todas as pessoas de bem a sensação de que o dinheiro para pagar advogados de renome confere impunidade aqueles que prevaricam.
    A tua crítica é assertiva. Parabéns.

    ResponderEliminar
  8. Carol,

    Não posso estar mais de acordo contigo.
    Aliás, más famas foi o que sempre ouvi de Carlos Cruz.
    Curioso é que vivi muito próximo dele quando do seu 1º casamento. Ele vivia no Rego e eu ali no alto da Av. das Forças Armadas que então se chamava Av. 28 de Maio, lembras-te?

    Imagino o que ouvias dele pois nessa altura também ouvi do piorio de tal personagem.

    Depois veio a história do desvio dos dinheiros da Pirâmide/Casa do Artista que deve ter sido abafado à custa dos amigos Solnado e Fialho que eram de facto duas almas boas.

    Depois andou nas bocas do mundo por ter tirado partido dos investimentos na bolsa do mal afamado Pedro Caldeira, não tendo querido fazer queixa dele por já ter ganho bem o investimento feito.

    A seguir veio a Casa Pia a propósito da qual chorou lágrimas de crocodilo frente às Câmaras da Televisão meio audiovisual que dominou como ninguém.

    Para mim é culpado sim. Pode nem ter abusado de crianças mas certamente que se serviu das imagens para encher os bolsos com o dinheiro que esse mercado permitia e ainda permite.

    Se ganhou muito dinheiro agora tem que o perder todo com os advogados para se defender já que os indícios não o ilibam de culpas.

    Cá se fazem cá se pagam, não é o que diz o ditado?

    Abraços

    ResponderEliminar
  9. Olá, Tite! Bem-vinda!
    Já nem me lembrava da "barraca" da Pirâmide! E do Pedro Caldeira! Como nunca gostei nada de semelhante personagem, não dei importância a esses casos!

    ResponderEliminar