segunda-feira, 25 de abril de 2016

Só de Punho Erguido

A minha homenagem aos homens de Abril.
Com força e determinação
E aos de agora e aos que hão de vir 
Para que Abril se cumpra.




Pela terra que nos deixam
Pela noite que se arrasta
Pelo chão que se conquista
Pelo preço que se paga
Pelo canto que se arrisca
Pela vida que se estraga.

(Refrão: só de punho erguido a canção terá sentido x 5)

Pelo corpo que se aperta contra os muros e contra as pedras
Pela voz que se levanta nas horas mais incertas
Pela boca que se espanta nas tarde encobertas.

(Refrão)

Pelas grades que se quebram
pelas armas que se apontam
pelos meses que se perdem se as palavras já não contam
pela calma do teu rosto
pelas fadigas que o afrontam.

(Refrão)

Pelo sangue e pela chuva que dos lares se derrama
pelo riso dos que chegam, dos que dormem nesta cama
pela sangue e pela luta e por tudo que se ama.

(Refrão)

Pela paz deste lugar
pelo vermelho destes dias
pela força de avançar
pela esperança que anuncias
pelo braço que te estendo
pelas nossas alegrias .

(Refrão)

Pela raiva dos que partem o gelo nas muralhas
Pelo grito dos que vencem ciladas e mortalhas
Por aqueles que resistem
Pelos golpes que não falhas.

(Refrão)

25 de Abril Sempre!

19 comentários:

  1. ~~~
    Beijinho de sincera Amizade

    enviado num cravo perfumado de Abril.
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  2. Hoje , pelo andar da carruagem , cheirou-me a cravos. Espero não me enganar.
    M.A.A.

    ResponderEliminar
  3. Gosto muito da poesia de José Jorge Letria, sei que o dia é(foi) de relembrar as canções de intervenção, mas tive sempre um enorme pudor em usar essa expressão de 'punho erguido', e muito menos o gesto. Lembra-me actos de violência.
    Mas fui sempre assim, desde os primórdios da Revolução. É coisa minha, não sei explicar.
    Sou mais de braços abertos, de dedos em V.
    Sou rebelde por natureza e pelas circunstâncias da vida, mas preciso de ternura para conseguir sentir-me segura, força para acreditar e ter esperança.

    Deixo-te, Graça, este excerto de um poema de JJL, que define melhor o que te quero transmitir, embora o poeta o dedicasse a um...felino!
    Eu dedico-o a ti e de certa forma, a mim!

    "Tu e eu temos de permeio
    a rebeldia que desassossega,
    a matéria compulsiva dos sentidos.
    Que ninguém nos dome,
    que ninguém tente
    reduzir-nos ao silêncio
    branco da cinza."

    É nesse sentido, de nunca permitir amarras e mordaças, que baseio a minha luta.

    Beijinhos Livres!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ganda Janita!! É assim mesmo!

      Beijinhos revolucionários...

      Eliminar
  4. O JJL faltou hoje à sessão solene
    está engripado,
    rouco, coitado
    mas houve quem dissesse os poemas dele

    ResponderEliminar
  5. E com uma chapelada monumental para o PR!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade! Não foi o meu candidato, mas, para já, está a portar-se muito bem!

      Beijinho.

      Eliminar
  6. O "nosso abril" por aqui, está bem nebuloso...
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A luz há de romper as trevas e há de voltar a brilhar...

      Beijo esperançoso.

      Eliminar
  7. ~~~
    Uma das afinidades que temos é a capacidade
    de entusiasmarmo-nos por boas causas.
    Tu, ariana ''carneirinha'' e eu acentuada libriana,
    não nos rendemos.
    Dentro do que é justo, enfrento tudo para defender
    a justiça.

    ~~~ Boa noite e boa semana; Graça. Beijinho. ~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É bem verdade, Majo! Sou mesmo assim. Na minha vida de professora nunca tive aquele discurso miserabilista de «coitada de mim, tenho tantas turmas, tanto trabalho, tantos testes para ver, tantas lições para preparara...» O entusiasmo foi sempre grande de cada vez que entrava na sala de aula. Por isso não suporto aquela treta dos professores, coitadinhos, que estão cansados, desmotivados, burocratizados e sei lá o que mais...

      Beijinhos, Majo.

      Eliminar
    2. ~~~
      «Mudam-se os ventos, mudam-se as vontades,
      Muda-se o ser, muda-se a confiança ...»

      Eliminar
  8. ~~~
    Contigo afirmo «25 de Abril sempre!»
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  9. Gosto da poesia de José Jorge Letria. Continuo esperançada que o 25 de Abril venha a ser aquilo que eu sonhei. Mesmo que passem mais 42 anos e já só seja para os meus bisnetos.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oxalá, Elvira!! Espero exatamente o mesmo!

      Beijinhos.

      Eliminar
  10. ehehe... Desculpa, num post sério, eu brincar um pouco :
    Refiro-me ao "punho erguido" e fechado, símbolo do socialismo ! ... E então não é que o filho do Socialista nº1, oferece uma mão aberta em vez do punho erguido e bem fechado ?!... hehe Claro que não poderia dar bom resultado ! rsrs
    Desculpa brincar com o assunto ! :)

    Para compensar um Beijinho muito grato pela tua grande amizade !

    ResponderEliminar
  11. Já não me lembrava desta.
    É muito mais afirmativa que a "gaivota".
    A esperança persiste.

    ResponderEliminar