sábado, 27 de dezembro de 2014

Ser velho é...

Aconteceu-me há dias. Entrar leve e lesta (quase como no tempo da Faculdade...) numa carruagem do metro bem cheia de gente, com a neta pela mão, romper até ao corredor e haver uma senhora da faixa dos trinta/quarenta que, simpática e sorridente, se levanta e me oferece o lugar...

Estupefação na minha cabeça por uma fração de segundos e, antes que me saísse um «Não é preciso, obrigada!» logo pensar: «Ah pois é! Comportamento afavelmente normal perante uma pessoa bem mais velha!...»




29 comentários:

  1. Normal é que não me parece muito. Viajo diariamente de Metro, várias vezes e assisto a cenas bem pouco edificantes nessa matéria.
    Continuação de Boas Festas

    ResponderEliminar
  2. Estás enganada, Graça!

    Quando te cedem o lugar nos transportes públicos, não é porque te achem velha...era o que mais faltava, que direi eu...!!!

    É uma gentileza - feminina, claro - por te ver acompanhada por uma criança!

    E sabes que mais? Velhos são os trapos! e mesmo assim têm serventia! :)

    Quanto ao balanço anterior não li os comentários mas, a minha opinião, é que aquele cartaz é dos fulanos que estabeleceram o novo A.O. Só pode!

    Gostei muito das fotos que tiraste de Lisboa, na noite do Dia de Natal.

    Não há dúvida que Lisboa, cheira a Sol e cheira a Lua!!

    Beijinhos, já a fugir para o Novo Ano!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Janita, pelos teus simpáticos comentários!

      Bom Ano! Melhor Ano!

      Eliminar
  3. Faço isso sempre que vejo alguém acompanhado por uma criança mesmo que seja mais nova do que eu!
    No entanto vejo muitos homens bem refastelados sem se mexerem do seu lugar!

    Abraço

    Rosa dos Ventos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é verdade! Muitos homens e muitos jovens!

      Beijinhos e abraços!

      Eliminar
  4. Respostas
    1. É claro que eu também aproveitei... Só se fosse palerma é que o não faria...

      Eliminar
  5. No meu tempo isto era bastante frequente. As pessoas mais velhas quando entravam e já não havia lugares sentados os mais novos levantavam-se e cediam-lhes os seus lugares.
    Gestos de uma educação baseada no respeito e na partilha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sempre o fiz - fui/fomos assim educados, não é verdade?!
      Bom Ano! Melhor Ano!

      Eliminar
  6. Educação, cabe em qualquer lugar independente de idade... não é mesmo, Graça! Ainda existem pessoas educadas!
    Abraços de um Feliz 2015!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há e haverá sempre pessoas educadas e outras que nem por isso...

      Feliz 2015|

      Eliminar
  7. Ser velho é uma respeitável senhora de idade, entrar numa carrugem de metro, combóio, ou elétrico, ainda por cima com um ou dois sacos na mão e como ninguém se mexeu, ela grita:
    - Já não há cavalheiros, como antigamente!
    Ao que lhe responderam; - cavalheiros até há, o que não há é lugares vagos.

    ResponderEliminar
  8. Só me lembro de me cederem o lugar nos transportes públicos,quando estava grávida! Mas isso já foi nos "tempos da Maria Cachucha". Se fosse hoje bem tinha que aguentar de pé. "Penso eu de que..."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez não! Como disse a Célia ali acima, ainda há pessoas educadas!

      Eliminar

  9. Ando poucas vezes de transportes públicos, mas mesmo nas poucas que ando continuo a ver esse tipo de gestos de amabilidade/educação/gentileza, eu própria o faço sem hesitar, seja a uma pessoa mais velha que eu, seja a uma mãe (ou outra pessoa) com uma criança ou a uma grávida.

    A mim também já me cederam o lugar, mas curiosamente foi o contrário, foi um senhor com idade de ser meu pai que me cedeu o lugar. Obviamente não pude aceitar!

    Beijinhos sem idade
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto desses «beijinhos sem idade».... mas com muita ternura...

      Beijinhos e Bom Ano! Melhor Ano!

      Eliminar
  10. :) Pensar que, ainda há pouco, éramos nós a levantar-nos para dar o lugar a outros. Ainda o faço, por vezes, mas só agora compreendo a "surpresa" em alguns rostos... :)

    Um beijo e um BOM ANO NOVO!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Lídia!! Também ainda o faço e esse é que é o ponto da minha história...

      Bom Ano! Melhor Ano!

      Eliminar
  11. :) Como compreendo esses segundos de estupefação... Mas isso é muito bom. É a prova de que nós nunca nos sentimos "velhos". :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo, Luísa. E não se isso será bom...

      Bom Ano! Melhor Ano!

      Eliminar
  12. Já ouvi uma senhora idosa dizer para a filha: "Aquela velha ali é mesmo chata" e a filha responder-lhe: "Olha que ela é mais nova do que tu" (...)

    ResponderEliminar
  13. Respostas
    1. Não era nada... Até foi muito querida, muito delicada!

      Eliminar
  14. ~ Tal como sublinhou a Leo, presentemente, é um comportamento mais habitual em damas.

    ~ A emancipação da mulher também serviu para desmascarar os pseudocavalheiros que ainda hoje se mostram ressabiados, ainda que sejam pais ou avós!

    ~ Tenho constatado pelos conteúdos deste blogue, que te manténs jovem em espírito (como eu) e que ajudas muito as tuas leitoras a terem gosto por cultivarem a mocidade que conservam dentro de si. Isto é que é deveras importante.
    ~ ~ Amiga, jamais consideres-te velha!

    ~ ~ ~ Ditosos dias plenos de jovialidade! ~ ~ ~
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois... o problema é que não me considero - malgré tout....

      Obrigada pelas tuas simpáticas palavras... Beijinhos e abraços.

      Eliminar
  15. quem se mete em apertos...
    e não te pisaram os calos? ou os joanetes, sei lá...

    beijo

    ResponderEliminar
  16. Quem lhe deu o lugar não era gente, Graça. Era um anjo, espécie em vias de extinção no espaço dos terráqueos.
    Pudera, já ninguém reza ao anjinho da guarda...!

    ResponderEliminar