sábado, 25 de dezembro de 2010

Natal





Nasce um deus. Outros morrem. A Verdade
Nem veio nem se foi: o Erro mudou.
Temos agora uma outra Eternidade,
E era sempre melhor o que passou.


Cega, a Ciência inútil gleba lavra.
Louca, a Fé vive o sonho do seu culto.
Um novo deus é só uma palavra.
Não procures nem creias: tudo é oculto.


(Fernando Pessoa in  Ficções do Interlúdio)

7 comentários:

  1. Olá parabéns pelo trabalho e pelo blog. Gostaria que visitasse meu blog que é este: informativofolhetimcultural.blogspot.com
    nos siga abraços
    Ass: Magno Oliveira

    ResponderEliminar
  2. Está tudo dito, como afirma o Observador!
    É De Fernando Pessoa e basta...

    Abraço natalício

    ResponderEliminar
  3. Este Deus que festejamos em cada Natal não nasce nem morre.
    Ele viverá através de todas as gerações.
    Morrerão outros deuses carregados de drogas e vícios...........? Estes parece-me que são cada dia mais poderosos e desumanos principalmente os que governam os povos roubando o pão dos pobres e flagelando os humildes............

    ResponderEliminar
  4. Deus é Tudo e Nada? O princípio e o fim?
    Há princípio das coisas?

    Mesmo que tudo se transforme e nada se crie...como explicar a Vida?

    Que remédio senão observar e reagir aos nossos sentidos e sentimentos!

    Hoje estou assim...
    Bj António

    ResponderEliminar
  5. Podemos esquecer todos os sofrimentos. Jamais esquecer os amigos
    Grato pela passagem em meu espaço. Venha porque ainda felizmente há um a fatia.À volta da mesa foram só 3 pessoas.

    ResponderEliminar
  6. Isto de falar acerca de Deus é complicado e tem muitas perspectivas... Eu respeito e considero todas elas, apesar de ter a minha própria. Obrigada pelas vossas viitas e comentários. Caro "Folhetim Cultural", lá irei com todo o gosto!

    ResponderEliminar