domingo, 6 de maio de 2018

À minha mãe (e a todas...)


MÃE

Apareceste-me de repente no espelho
Era a tua cara na minha
Sorriste-me sorri-te
sorri-me
Afinal envelhecer é caminhar
ao teu encontro
Reconcilio-me com meu rosto
envelhecendo
porque através dele me sorris
com minha boca meus olhos
magoadamente
Um dia os nossos rostos estarão sincronizados
num só olhar

(Teresa Rita Lopes, in Afectos, Lisboa, 2000)


A minha mãe
no dia do seu casamento: Out/1946

17 comentários:

  1. Tão bonito. E a imagem é uma verdadeira preciosidade.
    Dia Feliz!

    ResponderEliminar
  2. Um poema muito bonito. A sua mãe era uma senhora linda. Engraçado, a minha também casou em 1946.
    Um abraço e feliz dia das mães

    ResponderEliminar
  3. Gostei muito do poema. Um bom dia para ti também!

    ResponderEliminar
  4. Esta sina de vermos em nós as nossas mães pode mitigar a saudade.

    Beijinhos, Graça :)

    ResponderEliminar
  5. A tua mãe era muito bonita.
    Hoje também pensei na minha mãe, que tinha os olhos azuis mais bonitos do mundo.
    Abraça-te a amiga de longe que é obrigada a festejar o Dia da Mãe no próximo domingo, dia 13 e o Dia do Pai na próxima quinta-feira, dia 10.

    ResponderEliminar
  6. É uma dia em que todos nós, pouco ou muito nos recordamos da nossa Mãe. A minha também já partiu ! :(

    ResponderEliminar
  7. Não tendo o teu sorriso aberto, a Sra. tua Mãe tinha um sorriso lindo e algo enigmático.
    Desejo que tenhas passado um dia feliz. Graça.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Em Macau comemora-se no próximo domingo.
    Beijinhos, boa semana

    ResponderEliminar
  9. Bonita escolha poéticas, Graça.

    abraço

    ResponderEliminar
  10. Muito bonito! =)
    Beijinhos,
    http://chicana.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  11. Um excelente poema de Teresa Rita Lopes a homenagear as Mães. Obrigada, Graça.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  12. Obrigada, mães - e outras/os - por terem gostado.
    Beijinhos e abracinhos...

    ResponderEliminar
  13. Um rosto muito bonito trouxe a Graça para confrontar o espelho. Diz o povo, "quem sai aos seus nào degenera".
    Um poema certeiro e a propósito.

    Bj.

    ResponderEliminar