domingo, 9 de julho de 2017

Passeio ao Pedrogão Grande

O passeio de domingo foi ao Pedrogão Grande para estarmos com os nossos amigos de Troviscais, lá na Villa Isaura.






Passaram um mau bocado no passado dia 17 e ainda estão muito acabrunhados com tudo o que viram e viveram. Desde as labaredas a lamberem a herdade vizinha até raposinhas assustadas e uma corça pendurada numa árvore que restava verde...

A viagem para o interior começa em Ansião, lá para a serra do Sicó e, a partir do Avelar, para cima, tudo está queimado. Castanho.





Mau mesmo é quando entramos na zona de Pedrogão/Figueiró/Castanheira. 

É preto. Terra queimada. Preto. Completa desolação.











A Villa Isaura foi poupada por pouco.





Mas lá se mantém, linda, com o seu museu republicano.








Almoçámos no Lago Verde, sobre a linda barragem do Cabril.






Por acaso, almoçava lá também o presidente da Câmara do Pedrogão com um grupo de graduados das forças armadas.

O nosso grupo de amigos era muito grande e havia arquitetos, médicos e outros profissionais que, gentilmente, se foram oferecer para trabalharem na recuperação da área e no que fosse preciso. 

O nosso amigo de Troviscais afirmou que a maior ajuda que se podia dar era visitarmos a zona para animar as pessoas e ajudar a animar a economia. Que utilizássemos os restaurantes, os hotéis,  que visitássemos os museus, as piscinas, que fizéssemos passeios e visitássemos os amigos que tenhamos por lá.

É esse apelo que deixo aqui também: vão às piscinas das Rocas em Castanheira, às praias fluviais, aos museus de Figueiró, ao Lago Verde, ao hotel do Pedrogão Pequeno, aos turismos de habitação, quiçá à Villa Isaura...

Essa será uma das melhores formas de ajudar.


11 comentários:

  1. Que bonita deve ser a Vila Isaura!
    O susto que os teus amigos apanharam...
    Gostei muito da reportagem, vou divulgar este apelo.
    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Desolação; é a palavra que me ocorre.
    Tiveram sorte os vossos amigos de ver poupada às chamas a sua bela Vila.
    O ideal seria que a ajuda às famílias que mais perderam e menos tinham, tivesse já entrado em marcha, Graça. Boa vontade e ajuda solidária, não faltou. Dinheiro há. Falta é dar início à sua aplicação. Por enquanto, ainda andam a ver e a elaborar planos de acção...
    Visitar a zona flagelada e ajudar a economia local, é uma excelente ideia, sim.
    Beijinhos, boa semana, Graça.

    ResponderEliminar
  3. Um apelo que pode ser facilmente satisfeito. A distribuição de fundos às vítimas não deve ser um processo lento. Elas precisam o mais rapidamente possível.

    ResponderEliminar
  4. É uma boa ideia incentivar o movimento turístico na região que irá ajudar directamente uma boa parte da população atinjida pela catástrofe. Os movimentos de solidariedade e angariação de fundos, infelizmente, muitas vezes, são infiltrados por gente sem escrúpulos que se aproveita da confusão para dar o golpe.
    Bj.

    ResponderEliminar
  5. Bonito, Graça, teres ido a Pedrógão Grande.
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  6. Conheço bem toda a zona e também conheço a essa paisagem lambida e devorada pelas chamas. Chamar a atenção para esta triste realidade é também uma forma de ajudar a mitigar tanto sofrimento.

    ResponderEliminar
  7. Obrigada, queridos amigos, pelas vossas simpáticas palavras.

    É, de igual modo, uma forma de ajudar e prestar apoio.

    ResponderEliminar
  8. :´(

    Essa é a tal «estrada da morte»??

    Tristeza... ainda sinto tristeza, e um silêncio mudo ao ver essas imagens queimadas. O horror que deve ter sido...

    A imagem da garça no topo de uma árvore verde vai agora ficar comigo...

    Achas que essa casa foi poupada devido à vegetação circundante?
    Se não foi no teu blogue foi num parecido - vi essa questão ser abordada e achei-a importante.

    Essa «pinheiragem» toda queimada como paus de fósforo...
    Não se deve «encostar» paus de fósforo perto de locais onde caso se incendeiem, causem grandes perdas.

    ResponderEliminar
  9. PS: Por acaso nunca antes como agora percebi tantas pessoas no facebook a publicarem resorts turísticos da zona - como a da piscina das Rocas - dizendo que têm de lá ir.

    Para mim é algo agridoce... algo estranho. Mas entendo perfeitamente que se tenha de aproveitar o momento para não se afastar o turismo da região - afinal, o verão mal começou e será uma grande PERDA para a região se os turistas se afastarem devido à área ter ficado queimada.

    Na minha opinião acho que não se corre esse risco - ainda hoje vi uma resourt no méxico ou algo assim, com piscinas pelas encostas e uma vista DESLUMBRANTE para montanhas e vales... queimados.

    Acho que, mais uma vez, o povo português vai demonstrar o quanto é solidário, visitando a região e dando o apoio moral que toda a gente sempre precisa.

    ResponderEliminar
  10. Manter e valorizar aquele Museu da República e da Maçonaria não é só o trabalho de um grande republicano, é a generosidade e o bom gosto de uma família e o sonhe de uma vida. A Vila Isaura é um oásis do republicanismo num país que esquece o que deve à república.

    ResponderEliminar