quarta-feira, 14 de maio de 2014

Birds



É que ...

Que dias há que n’alma me tem posto
       um não sei quê, que nasce não sei onde,
      vem não sei como, e dói não sei porquê.


                                           (Luís de Camões)

17 comentários:

  1. Gostei dos dois poemas e da imagem. Vou "googlar" o primeiro autor...
    um beijinho

    ResponderEliminar

  2. Afinal as depressões não são uma "conquista" dos tempos modernos... Camões também já as sentia... óó... «alma minha gentil que te partiste...»


    Beijinhos entre suspiros
    (^^)

    ResponderEliminar
  3. E são tantas as penas... que os impedem de voar.

    ResponderEliminar
  4. ~
    ~ Não te quero melancólica ou triste!
    ~ Não combina nada con a tua foto alegre!
    ~ Nossa companhia diária simpáticamente jovial.

    ~ ~ O poema de Yahya e os versos de Camões são belos,
    inteligentes e confortantes.

    ~ ~ ~ Amanhã será outro dia! ~ ~ ~
    ~ ~ ~ ~ ~ Abraço. ~ ~ ~ ~ ~

    ResponderEliminar
  5. Essa ignorância, eterna, da dor
    que dói...

    Eu acho que que Camões, sabia
    só que não dizia
    para que outros lhe procurem
    o BI

    ResponderEliminar
  6. A falta de golpe d'asa a uns deixa-os imobilizados a outros com uma sensação esquisita. Um vazio impossível de preencher.

    ResponderEliminar
  7. Nuances da vida... há momentos assim para todos nós - humanos que somos!
    Abraços.

    ResponderEliminar
  8. A dúvida está muito bem posta. A resposta é que é mais complicada... :)

    Beijocas

    ResponderEliminar
  9. Poesia de Camões onde se lê e se sonha mais além

    ResponderEliminar
  10. ...e este teu post me trouxe à memória Cesário Verde!

    Bom dia, Gracinha

    ResponderEliminar
  11. Eu sei de onde me vem a dor...mas não o sei dizer de maneira nenhuma...
    Quanto ao voo é uma boa questão!

    Abraço

    ResponderEliminar