quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

O insólito aconteceu!


Morro de medo de ratos, por isso (não é só por isso, compreenda-se!) dá-me jeito ter gatos cá por casa. A minha Julinha - uma lady de uma gata que esteve connosco durante quinze anos - nunca andou aos ratos, mas a minha Ritinha, a siamesa que tive de mandar abater por doença no passado verão, era uma caçadora sensacional que fazia questão de me deixar os seus troféus de caça à porta do quintal. E que sustos me fez apanhar tantas vezes logo pela manhã quando me deparava com os pequenos destroços no tapete!

Atualmente temos o Socas e a Branquinha e só esta vai cumprindo a sua obrigação de gato que é, antes de todas as coisas, caçar ratos. Ele, como macho que é - ou já foi, diga-se! - não faz nada! Não sei se me faço entender...

Pois um dia destes em que parece que a primavera se veio instalar entre nós mesmo antes da chegada das anunciadoras andorinhas, pressenti a presença de um rato ali pelo quintal porque ambos os gatos se animavam a dar corridas e a meter as patinhas por de trás dos vasos que estão arrimados às paredes. De porta bem fechada, esperei que eles fizessem o seu trabalho. Mas, de facto, o insólito aconteceu: quando, passado algum tempo, voltei a espreitar pelas janelas para ver o desfecho da cena, dei com o seguinte espetáculo:


O Socas, refastelado, a dormir na sua manta de campo;



A Branquinha, mais refastelada ainda, a apanhar banhos de sol na barriga;



E o bom do rato, lá bem no meio do quintal, a aquecer a sua pelagem rasa, como quem está de férias e não tem de dar contas seja do que for  a alguém...


19 comentários:

  1. Os ratos elegem os gatos... lembra-se?

    E os gatos andam a banhos... de sol.

    ResponderEliminar
  2. ah que gatinhos bonzinhos e do bem. minhas hamsters ( que são quase ratinhas) iriam adorá-los hehehehehehehhe. melhor que eles se deem bem, e se vc observar os ratinho de perto vai ver que eles ficam bem lá no fundo do quintal, desde que não lhes falte alimento. beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Ahahaha! O que me ri! : )))
    E que sorte teres “registado” o ratinho nas suas andanças pelo quintal, como se fosse todo dele! : )))

    ResponderEliminar
  4. hehehe, parece um filme cómico, o ratito era muito pequeno chegaram á conclusão que não valia a trabalheira de o apanhar rsrsrrs
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Pois, "já não se fazem gatos como antigamente!" É a observação dúbia que se me oferece neste e noutros momentos similares.
    A história é mesmo hilariante.

    ResponderEliminar
  6. Rindo muito por aqui e pensando... a qual partido político eles pertencem... ou seriam altos postos palacianos?
    Abraço, Célia.

    ResponderEliminar
  7. Kkkkkkkkkk!! Acabada a brincadeira, todos ao cochilo, hehehe. Adorei a narração e as fotos dos adoráveis felinos.
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Kkkkkkkkkk!! Acabada a brincadeira, todos ao cochilo, hehehe. Adorei a narração e as fotos dos adoráveis felinos. Bjs

    ResponderEliminar
  9. Não tenho medo dos ratos. Tenho muito medos das doenças que nos podem transmitir.
    Os meus gatos são bons caçadores e sempre que os apanham são exímios na arte de os martirizar.
    Ainda assim vou espalhando venenos por alguns cantos dos palheiros onde eles gostam de viver.

    ResponderEliminar
  10. O Socas e a Branquinha fizeram muito bem!
    Afinal por que razão hão-de infernizar a vida a um ratinho tão simpático se o sol quando nasce é para todos?!
    Ou deveria ser!

    Abraço

    ResponderEliminar
  11. Não tenho medo nenhum de ratos . A minha gata siamesa se os vir , apanha-os. Agora os seus gatos e o rato conseguiram uma boa pose para a fotografia.Que felinos tão bonitos. M.A.A.

    ResponderEliminar
  12. Já estive para perguntar a razão do desaparecimento da Carl mas já a encontrei numa das entradas anteriores!
    Graça, que é a tua graça, também está bem! :-))
    Agora eu fico melhor sendo Rosa mesmo que dos Ventos!

    Abraço

    ResponderEliminar
  13. "Morre de medo por ratos", dá para acreditar nisso? A foto nem está tremida...
    :)

    ResponderEliminar
  14. Era de dois "vigias" assim que o Rato Alberto João estava a precisar, para continuar a controlar todo o pátio e mesmo todo o quintal. Será que vai ter?!...

    ResponderEliminar
  15. Graça o que me fizeste rir!

    Então tu tens medo dum ratito tão pequenino?

    Engraçado eu também tenho uma Branquinha e uma Julinha.

    Alguns dos nossos gatos apanham os ratos brincam com eles até os cansarem e eles deixarem de mexer.

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  17. Bem apanhado, o malandro!
    Queria eu dizer, bem apanhados os malandros, os gatos e o rato. Com as barrigas cheias, imagino eu, quer os gatos quer o ratito, que até parece bem engraçado!

    Os gatos de antigamente não comiam a papinha enlatada, com sabor a tudo o que se sabe eles gostam.

    Depois a coisa dá nisto, hábitos modernos...

    ResponderEliminar
  18. Ora ainda bem que se riram com as gatices cá do meu quintal!

    Luís, se calhar o Rato da Madeira tem gatos tão desleixados como os meus, por isso faz o que lhe dá na real gana!...

    Rosinha, lamento que a Carol tenha desaparecido. A questão é que o blogger perguntou se eu queria ligar o blogue à conta do Google e eu acedi. Pronto: transformaram a Carol em Graça Sampaio e agora não sei como voltar atrás. Bem sabes como sou boa nestas coisas da informática... ...

    Pois é, amigo António, os meus gatos andam bem alimentados de mais por isso já nem vão aos ratos...

    Amigo Rui, a fotografia foi tirada pela janela...

    Beijinhos felinos para todos.

    ResponderEliminar
  19. Queres ver que tenho que te enviar um dois meus gatos para te proteger?

    Aqui eles nem sequer têm tempo de crescer. Até os pássaros lhes caem nas garras sem dó nem piedade.

    Beijarocas

    ResponderEliminar