quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

O sonso II



O senhor presidente, no seu habitual tom tabu, fez o povo – os estultos, claro! – esperar até ao fim do mês e do ano, dia 31, portanto, para saber com certeza se promulgava o Orçamento de estado para 2013 ou se, liminarmente, o enviava para o Tribunal Constitucional. Entretanto, promulgou-o, num instantinho, no dia 28, sem de tal ter dado conhecimento aos órgãos de comunicação, nem sequer ter publicado a notícia no sítio oficial da Presidência da República. (Não! Não estou a falar da sua página no Facebook…) Como muito bem disse Eduardo Pitta no seu blog, promulgou-o às escondidas…

Isto para fazer a vontade e facilitar a vidinha do governo. Mas depois, para ficar “bem visto na fotografia”, veio, na sua promissora Mensagem de Ano Novo, dizer ao povo que tem dúvidas sobre a equidade dos sacrifícios pedidos aos portugueses. (Isto para quem há anos afirmava impante que nunca se enganava e raramente tinha dúvidas, é um progresso! E mais porque relativamente ao orçamento do ano passado que estava igualmente ferido de inconstitucionalidade, o senhor presidente não teve dúvidas…) Todavia, tem apenas três dúvidas. Claro! Esta medida é para fazer a vontade e agradar ao povo, portanto três duvidazinhas sobre os cortes nos subsídios dos reformados e dos funcionários públicos chega bem para ficar bem visto e, por outro lado, deixar o Orçamento fazer o seu caminhozinho neoliberal delineado pelos seus amigos de partido.

Entretanto, deixou – dizem os comentadores – uns “recados” ao governo aos quais este faz verdadeiramente “orelhas moucas” e que, incongruentemente, faz balançar os “patarecos” das cúpulas do PS. 

O BB, na sua habitual crónica das 4ªs feiras, disse que não desejava referir-se no texto de hoje «ao dr. Cavaco, por nojo e estrito resguardo mental». Curiosamente – e salvas as devidas distâncias – foi exatamente pelos mesmos motivos que escrevi hoje este texto.

(Pode reler "O sonso" I aqui)

12 comentários:

  1. Há muito que deixei de ouvir este presidente e não sinto a falta.

    ResponderEliminar
  2. Faço minhas as palavras Do nosso amigo Rui Pascoal!
    Não é por nada Graça mas não estou a fim de tomar antidepressivo!

    Beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  3. Pois olha, preferi nem ouvir o discurso dele! Estou farta desta gente hipócrita, ainda por cima quando têm a mania que são espertos... :P

    Beijocas!

    ResponderEliminar
  4. Mas alguém - com juízo, entenda-se - espera já alguma coisa da múmia caloteira que algumas luminárias têm votado para tudo, ignorando olimpicamente a falta de coragem e dignidade da criatura?!

    Bons sonhos.

    ResponderEliminar
  5. As dúvidas hipócritas de Cavaco vão levar ao mesmo resultado do ano passado: o TC não consegue (ou não quer) fazer cumprir as suas sentenças e desautoriza-se, ano após ano, com desculpas esfarrapadas! Vamos ver como é, desta vez!
    Não ouvi o PR, já ando irritada que chegue e tenho que estimar o meu sistema nervoso porque os da (falta de) saúde não querem que eu vá ao médico!

    Mesmo assim, desejo um ano tranquilo mas...refilão!

    ResponderEliminar
  6. Sabes que é no FB que eu tenho destes desabafos e também referi essa excelente crónica de BB que não deixou de zurzir no PS, e fê-lo muito bem!
    Quanto ao sonso lá vai levando a vidinha dele na melhor, embora com dúvidas enquanto os portugueses se enchem de dívidas graças a ele e ao desgraçado governo que ele preparou cuidadosamente!

    Abraço

    ResponderEliminar
  7. Não ouvi o " bacalhau seco " para cuidar do meu sistema nervoso .Já tomo antidepressivo e no meio disto tudo temos que cuidar da saúde. M.A.A.

    ResponderEliminar
  8. Ouvi alguns minutos, confesso, mas não me trouxe qualquer novidade. Este Presidente não carrega o orgulho dos portugueses, pelo menos não o meu. Por mim, já podia ter deixado o lugar à disposição.

    ResponderEliminar
  9. Esta república não tem presidente

    tem um coiso

    ResponderEliminar
  10. E não será que o tiro nos saia pela culatra ? :(((

    Só espero é que a atitude tomada não tenha nada de pessoal ! (?) Lembrem-se do que disse o Marcelo : este "ataque cerrado aos mais ricos" e aos que recebem mais do que descontaram, foi também "uma canelada" no PR !
    Ele indica para já 3 artigos em que tem dúvidas e um deles é precisamente aquele que mais o prejudica : a "injustiça das desigualdades de esforço financeiro dos portugueses", quando a constituição fala em "igualdade de tratamento" !
    Espero que as exigências de recurso ao TC por parte das oposições não venha a "sair-nos pela culatra", se vier a implicar o cancelamento desse dito "esforço" por parte dos mais ricos, o que logicamente teria novos reflexos (para pior) nos impostos de todos os portugueses.

    C'os diabos ! Todos queremos ver muitas coisas alteradas e fazer os ricos pagar a crise, mas poucos querem que se altere a Constituição !!! :(((

    "Esperemos pela volta" ! :((
    .

    ResponderEliminar