terça-feira, 16 de abril de 2013

Chico-espertices




Considero-me uma pessoa educada e com maneiras – civilizada, digamos. Vou uma vez por semana ao supermercado e semana a semana, trago o carrinho mais ou menos cheio. Assim, quando na fila para pagar aparece, logo atrás de mim, alguém com dois ou três artigos na mão, de imediato o/a convido a passar à minha frente. Naturalmente.

Ora hoje, depois de uma semana fora, lá tive de ir abastecer-me de frescos e não só. Quando cheguei à caixa, estava um senhor a passar as suas compras e eu comecei a dispor as minhas compras sobre o tapete. Entretanto uma “senhora” vinda de um dos corredores cheia de pressa com uma embalagem na mão, ultrapassa-me rapidamente. Em instantes pensei que ia acrescentar aquele artigo aos que o cliente à minha frente passava pela máquina, mas logo vi que a dita “senhora” nada tinha a ver com o senhor que estava a ser atendido. Olhei para ela com cara de espanto e de reprovação. Atrevida e cheia de razão a “senhora” – uma velha pr’aí da minha idade, muito loira e bem vestida – explica-se: «É só uma coisinha, não demora nada!» E eu, furiosa, mas assertiva (como se diz agora): «Pois, mas eu é que estava aqui primeiro.» Ato contínuo, a espertinha dispõe-se a ajudar-me a pôr as minhas compras sobre o tapete, o que eu recusei liminarmente. Mas a “senhora” lá se fez atender à minha frente e pronto!

Somos realmente um povo de chicos-espertos. E quem assim não age, é considerado como palerma ou sei lá!


13 comentários:

  1. Também já tive uma história parecida. Não há bilhetes!

    P.S. gostei da parte em que dizes "uma velha praí da minha idade". Lembrei-me logo de outra história. Aqui na casa ao lado moram inquilinos novos. Há dias estava uma jovem no terraço que eu e o meu marido cumprimentámos ao passar. Um ou dois dias depois estava uma outra senhora. Diz-me o meu marido. "não é a mesma do outro dia, pois não?". E eu: "Não. Esta é velha". E ele: " Pois, é para aí da tua idade"..."
    E é assim. Só vemos a idade no rosto dos outros. :)

    ResponderEliminar
  2. O prato do dia por estas bandas!
    Eu sou como tu, além de velha também costumo mandar passar à frente quem tem pouquinha coisa, mas fico fula quando tentam passar á frente sem dizer nada, aí eu "alto e para o baile".

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  3. Estimada Amiga Graça Sampaio,
    Pelo que sei esses procedimentos sãp já o pão nosso de cada dia, sempre existiram chicos espertos, mas tal como os cogumelos aumentam sem parar.
    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  4. Querida Graça, eu que sou uma velha da tua idade, detesto pressas!
    E lá deixo passar as apressadas, que são tão velhas como eu, mas que se acham sempre muito jovens e com muito que fazer. Daí as pressas! :P
    Mas essa, tinha logo levado uma boca desta velha, tal como tu fizeste e muito bem.
    Porque somos velhas, mas não somos parvas!
    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  5. Pois , vou-lhe confessar uma coisa...estas situações, dão cabo de mim e refilo sempre , mas sempre.Deixei de ir praticamente às compras...vai o meu marido que é mais paciente do que eu e pela figura não é fácil de ser atropelada.M.A.A.

    ResponderEliminar
  6. Uma "leiriense plásticos", certamente! :-))
    Dificilmente me apanham em superfícies dessas!
    Eu sou pelo comércio de proximidade e aí todos/todas temos essas atenções recíprocas!
    Quem tem uma ou duas coisas passa a frente, a convite nosso, obviamente!

    Abraço

    ResponderEliminar
  7. Esta eu ouvi tambem nna fila do supermercado: Dizia a mãe para a filha: olha aquela velha quer passar à nossa frente! pois não passa não, mas olha que ela é bem mais nova do que tu...

    ResponderEliminar
  8. mas não te pediu se te importavas?! bem...mau mesmo e infelizmente há muito por aí :( confesso que às vezes se tenho só uma ou duas coisas na mão pergunto educadamente à pessoa que está a minha frente ( e normalmente de carro cheio) se se importa. E a resposta é sempre positiva mas acho que conta muito pedir se se importam..

    ResponderEliminar
  9. Querida amiga
    Depois de muito silencio, eu vim me fazer presente, trazendo a certeza que me recordo de você com carinho e amizade.
    Sinto muita saudade de não vir aqui mais vezes, mas fiquei presa no caminho, tentando resolver algumas coisas pendentes.
    Pedras aparecem pelo caminho, e delas precisamos fazer renascer lindas flores, para que nossa vida se torne um lindo jardim.
    Abraço amigo.
    Maria Alice
    Meu facebook é http://www.facebook.com/mariaalicefcerqueira

    ResponderEliminar
  10. Não, GuessWho, não pediu coisa nenhuma! Passou à minha frente e pronto!

    Por acaso não era uma "leiriense plásticos", Leo, era mesmo e só uma chica-esperta.

    Obrigada, Maria Alice (e todos!)

    ResponderEliminar
  11. Tinha que ser "uma senhora", um gajo não fazia isso...
    :)

    ResponderEliminar
  12. Não gosto nada quando algo assim me acontece.

    ResponderEliminar